Tio do prefeito de Granjeiro é preso em Fortaleza


Contra o familiar, constava mandado de prisão em aberto por suspeita de envolvimento no crime


Em mais uma etapa das diligências para elucidar as circunstâncias da morte do ex-prefeito de Granjeiro, João Gregório Neto (54), a Polícia Civil cumpriu nesta terça-feira (3), um mandado de prisão temporária expedido em desfavor do tio de atual prefeito, que, à época do crime, era vice-prefeito da vítima. Mais detalhes serão divulgados na Superintendência da Polícia Civil do Estado do Ceará na quarta-feira (4). 
Em fevereiro, a Câmara Municipal afastou Ticiano Tomé, atual chefe do Executivo, apontado como suspeito de participação no crime. A decisão foi revogada horas depois pela Justiça. O juiz Marcelo Wolney Alencar Pereira de Matos, responsável pela decisão, afirmou que a saída do prefeito "feriu dispositivos legais e princípios da administração pública" e é "nulo de pleno direito"
Ticiano e seu pai, Vicente Tomé, eram rompidos com o então prefeito, após a família fazer denúncias contra o gestor, investigado pela Polícia Federal. Em novembro de 2018, os policiais encontraram R$ 123 mil escondidos em caixas de sapatos. Conforme a delegada Juliana Pacheco, que atua na Delegacia de Combate às Ações Criminosas Organizadas (Draco), existe suspeita de fraude nas licitações de Granjeiro. As obras da cidade eram administradas por empresas que estavam sob o comando do prefeito, caracterizando lavagem de dinheiro. 
NÃO FOI A PRIMEIRA PRISÃO DO CASO
O veículo apontado nas investigações como o transporte utilizado pelos suspeitos da morte do prefeito de Granjeiro, João Gregório Neto (54), foi apreendido no Piauí.  Um homem que estava na posse do automóvel e o proprietário de uma revenda de carro que se preparava para colocá-lo à venda foram presos em flagrante. 
As investigações acerca da morte do prefeito de Granjeiro seguem em andamento e são conduzidas pelo Departamento de Polícia Judiciária do Interior Sul (DPJI Sul), com apoio das delegacias regionais de Crato e de Juazeiro do Norte. 

Cnews

Postar um comentário

0 Comentários