Sistema Penitenciário do CE confirma 1ª morte por Covid-19


O interno tinha 36 anos e estava recluso na CPPL II

O estado do Ceará confirmou a primeira morte por Covid-19 dentro do sistema penitenciário, nesta segunda-feira (27). Segundo a Secretaria da Administração Penitenciária (SAP), o interno tinha 36 anos, e estava recluso na Casa de Privação Provisória de Liberdade Professor Clodoaldo Pinto (CPPL) II, em Itaitinga, na Região metropolitana de Fortaleza.
Conforme a Pasta, o interno que morreu estava hospitalizado desde o dia 21 de abril, na Unidade de Pronto Atendimento de Horizonte. Ele havia apresentado sintomas de síndrome viral ainda dentro da prisão.
A SAP ainda informou que a ala aonde o interno estava recolhido encontra-se isolada e que nenhum detento do local apresenta sintomas de gripe ou semelhante ao Coronavírus. 
"O Núcleo de Saúde da SAP realizará testes em todos os internos desta ala ainda nesta terça-feira (28). A SAP também comunica que providenciou testes rápidos para servidores e internos. O objetivo é antecipar os casos suspeitos, promover tratamento entre os casos confirmados e prevenir uma possível disseminação da doença. Os testes deram positivos para 67 agentes penitenciários. Todos estão estáveis, isolados e acompanhados por um grupo intersetorial da SAP composta por médicos, psicólogos e assistentes sociais. A Secretaria informa que possui efetivo de agentes suficiente pra garantir a segurança do sistema prisional", disse a nota da pasta.
A CPPL II tem capacidade para comportar 944 presos e, segundo último levantamento divulgado pela SAP, abrigava 1.726 presos. 
Conforme a SAP, foi colocado o seguinte plano de contingência em prática: 
• Avaliação e identificação dos dados epidemiológicos e sociodemográficos dos apenados em seu ingresso ao sistema prisional, com ênfase e avaliação criteriosa pela equipe de saúde da SAP
• Manutenção dos apenados em isolamento por um período de 14 (quatorze) dias para observação de quadro clinico, com acompanhamento pela equipe de saúde da Unidade
• Avaliação clínica aos apenados conforme rotina da unidade, com vigilância para a busca de casos suspeitos
• Equipes de saúde treinadas para atendimento de casos suspeitos conforme protocolos estabelecidos pelos órgãos de saúde 
• Disposição uma central de remoção de referência para o translado dos casos suspeitos nas unidades da região metropolitana de Fortaleza 
• Capacitação das equipes de agentes penitenciários para a realização de remoção dos casos suspeitos/confirmado de COVID-19
• Além da nossa atenção primária própria de saúde, a SAP trabalha integrada com a secretaria de saúde do estado para qualquer eventualidade que precise de atendimentos mais complexos
• Realização de testes e orientação a todos os servidores e colaboradores que apresentem as características apontadas pela Secretaria de Saúde.

Cnews

Postar um comentário

0 Comentários