Explosão em Beirute alerta as autoridades no Ceará


Por mais que haja o trabalho preventivo, as autoridades não descartam o risco de explosão


A explosão no Porto de Beirute, no Líbano, comove o planeta, os mortos aumentam a cada balanço, feridos levam a rede de assistência em saúde do país à exaustão. As autoridades falam em uma análise inicial que a explosão pode ter acontecido em tanques que armazenavam fertilizantes há pelo menos seis anos.

Em Fortaleza, uma característica do porto da cidade põe as autoridades em alerta, a zona de armazenagem de combustíveis fica hoje cercada por casas. 

O bairro que, anteriormente, abrigava apenas o Porto do Mucuripe, hoje é também uma área residencial. Por mais que haja o trabalho preventivo, as autoridades não descartam o risco de explosão.

Exatamente por reconhecer esse risco, o Ministério Público Estadual, propôs um Termo de Ajustamento de Conduta (TAC) entre o próprio MP, Governo do Estado do Ceará, Petrobras e a empresa Raízen, que operam no Porto do Mucuripe.

O TAC estabelece a transferência da zona de tancagem, onde ficam armazenados os combustíveis, por exemplo, para o Porto do Pecém, área de menor densidade demográfica. O TAC foi assinado, mas os prazos da transferência não foram cumpridos. O Ministério Público falou para a TV Cidade, por meio de nota que ajuizou uma ação civil pública na 4ª Vara da Fazenda Pública, requerendo a transferência, o MP afirma que ainda aguarda a homologação do termo. 

A preocupação do MP não é à toa, no início da década de 1980, houve uma grande explosão no local, quatro tanques ficaram destruídos. Na época, o cenário era outro, mas mesmo assim os moradores precisaram deixar suas casas.

Enquanto a transferência não acontece, o quartel do Corpo de Bombeiros da área, disponibiliza 1 caminhão auto bomba tanque e uma equipe formada por 40 pessoas. 


Cnews

Postar um comentário

0 Comentários