Mundial de Kitesurfe da GKA em Cruz, terá etapa única e virtual



 

Em anos anteriores, competição era dividida em etapas, uma delas no Ceará. Nesta versão, cada atleta enviará vídeos, com cinco minutos de manobras




O paraíso natural da Praia do Preá, na cidade cearense de Cruz, ganhou calmaria. Diferente de temporadas em que o litoral do município recebia velas de kitesurfe e os melhores atletas do mundo, o ano de 2020 paralisou as principais competições devido à pandemia de Covid-19. A adversidade se transformou em oportunidade com a realização do GKA Distance Battle.

Para manter o isolamento social e reduzir os riscos de propagação da doença, o evento foi organizado com base no ranking mundial e será exclusivamente virtual. Assim, cada velejador poderá competir direto do local de origem, sem aglomeração, com produção de vídeos.

Na disputa pelo título mundial, 23 dos melhores praticantes de kite, em dois formatos de competição: o Strapless (categoria freestyle de movimentos aéreos) e Twintip (nova modalidade com prancha e velas alternativas).

O Brasil soma três representantes divididos nas categorias masculina e feminina: Pedro Matos (RJ), Mika Sol (CE) e Bruna Kajiya (SP).

Novo formato

O GKA Distance Battle oferece fórmula inédita de competição. Cada atleta poderá realizar manobras durante uma bateria de cinco minutos - todos os movimentos devem ser filmados sem cortes.

Os vídeos serão editados pela organização para apresentação dos duelos com tela dividida, replays em câmera lenta, pontuação avaliada pelos juízes e apresentada em um evento online de estúdio, ao vivo, em correspondência com os concorrentes via chat.

A exibição da competição e decisão do novo título mundial está programada para 13 de setembro, pelos canais oficiais da GKA World Tour.

Diario do Nordeste

Postar um comentário

0 Comentários