Parceria promove ações de limpeza na comunidade de Porto dos Barcos, em Itarema





Uma parceria firmada entre Capitania dos Portos de Camocim, Marinha do Brasil e Colônia de Pescadores e Prefeitura de Itarema deu início, nesta última quinta-feira, 24, ao “Projeto de Combate à Poluição Hídrica” na região. Com o lema ‘Todos a bordo! Embarque você também! “Mar Limpo é Vida!’, os voluntários realizarão a limpeza e preservação ambiental do litoral cearense. Está sendo traçado um cronograma para conciliar as ações com as inspeções navais da Marinha na região.


“Somando forças para combater o descarte de lixo e óleo, principalmente em Porto dos Barcos, atualmente com grande incidência de poluição hídrica”, explica o Capitão-Tenente Peixoto, da Agência da Capitania dos Portos de Camocim. Segundo ele, parte da poluição no local é ocasionada pelo “incremento da pesca no Município, hoje, um dos maiores produtores de pescado do Ceará, principalmente para exportação”.

O oficial destaca que a "iniciativa uniu Marinha, Prefeitura e Colônia de Pescadores no intuito de conscientizar pescadores e empresas para iniciativas pragmáticas". Entre as medidas estão: "mutirões de limpeza e até estabelecimento de profissionais, contratados pela Prefeitura, para serem responsáveis por supervisionar e até coletar o óleo inservível e demais resíduos produzidos pelas embarcações logo após atracarem no local”.

O local recebe diversas embarcações e é marcado pela paisagem proporcionada pelos barcos coloridos produzidos pelas comunidades locais. Ontem (24), foi o primeiro dia de ação, o grupo de cerca de 30 voluntários participou do movimento. "Foi realizada limpeza em Porto dos Barcos apenas nos locais que a maré permitiu, de maneira que ficamos na campanha de conscientização da comunidade local".

O cronograma de atividades está sendo costurado com os integrantes do projeto. “As ações, à princípio, serão direcionadas para o Porto dos Barcos por ser hoje o local com maior número de embarcações e, infelizmente, com o maior índice de poluição”, explica. A ideia é realizar o projeto piloto no local e, depois, ir para os Torrões e demais localidades da comunidade pesqueira, explica Peixoto.


Com Informações do Diário do Nordeste

Postar um comentário

0 Comentários