Votos nulos, brancos e abstenções crescem; eleições poderiam ter tido outro rumo





Com quase 100% das urnas apuradas no Brasil, diversos colégios eleitorais viram o número de abstenções aumentar nesta eleição.

Entre os motivos para o não comparecimento estão a pandemia do coronavírus e o descontentamento com a política, dizem analistas. Os dados gerais indicam um total de 23,14% de abstenções no país com 99,89% da apuração concluída.


A somatória do quantitativo de pessoas que votaram em branco, nulo ou mesmo não compareceu (abstenção), poderia ter mudado o cenário político em quase todos os municípios da região (ver tabela)

Vamos tomar como exemplo o município de Morrinhos, onde o candidato eleito Jeronimo Brandão (PT), teve 6.899 votos, enquanto o segundo colocado Carlos Bruno (PSDB), teve 6.844, uma diferença de apenas 55 votos, em contrapartida o numero de votos brancos, nulos e abstenções somou 2.147 


Veja a diferença de votos nos demais municípios, entre o vencedor e o segundo colocado:

Acaraú (890 votos), Amontada (4.068 votos), Bela Cruz ( 1.393 votos), Camocim (186 votos) Cruz (6.263 votos), Fortaleza (30.819 votos)*, Granja (6.971 votos), Itarema (1.694 votos), Itapipoca (4.345 votos), Jijoca de Jericoacoara (2.902, Marco (1.925 votos), Morrinhos (55 votos) , Santana do Acaraú (1.009 votos), Senador Sá (936 votos) Sobral (20.724 votos)

Os dados são do Tribunal Superior Eleitoral (TSE).

A soma de ausentes na votação, votos em branco e votos nulos representam a chamada alienação do voto, ou seja, o percentual do eleitorado que não é efetivo e assim não contribui na definição dos candidatos vencedores.


*segundo turno
¹ municípios em destaque 

Postar um comentário

0 Comentários