Governo Federal estuda empréstimo de R$ 1.000 para beneficiários do Bolsa Família



A origem do dinheiro, se totalmente da União, da Caixa, ou de ambos, ainda está sendo discutida

O Governo Federal está avaliando oferecer um microcrédito para beneficiários do Bolsa Família. A ideia seria liberar empréstimos de R$ 500 a R$ 1 mil, na tentativa de substituir o auxílio emergencial em 2021.

A origem do dinheiro ainda está indefinida, mas o orçamento inicial do programa não deve passar de R$ 2 bilhões. Uma das opções é direcionar os recursos do orçamento da União para o programa. No caso, o fundo seria estruturado nos moldes do Programa Nacional de Apoio às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte (Pronampe). Por outro lado, a equipe econômica também avalia se o risco de crédito será 100% do fundo ou se será dividido com a Caixa Econômica.

Além disso, ainda que a discussão sobre o projeto esteja bem avançada, os técnicos da equipe econômica têm alertado o ministro da Cidadania, Onyx Lorenzoni, sobre a importância da medida ser pensada cuidadosamente.

O receio é de que o microcrédito seja utilizado como um crédito direto ao consumidor, causando uma inadimplência maior. Por isso, o ideal é que seja uma modalidade acompanhada de cursos de educação financeira e conceitos do microcrédito.

Vale ressaltar que o Ministério da Cidadania já oferece aos inscritos no Cadastro Único e aos beneficiários do Bolsa Família o acesso a microcrédito, após cursos gratuitos de capacitação, por meio do programa Progredir. No entanto, a avaliação da pasta é de que há baixa adesão ao Progredir.


UOL 

Postar um comentário

0 Comentários