Chefe de facção criminosa é preso pela Polícia em Acaraú



 

Conhecido como “Fernando Bombado”, suspeito tinha ligação com a "Irmã Ruiva", uma das mulheres mais procuradas do Estado



A Polícia Civil do Ceará (PCCE) prendeu o chefe de uma organização criminosa com atuação no interior do Estado. Identificado como Fernando Lopes Barros, 35 anos, ele atuava como chefe e conselheiro do grupo. Contra ele,  havia um mandado de prisão de recaptura expedido pelo Poder Judiciário. 

Fernando, que também usava codinomes como “Fernando Bombado” e “Véi da Foice”, foi capturado  no municipio de Acaraú, no Ceará, durante operação de diversas forças da Segurança Pública. O criminoso possui uma longa ficha criminal: há pelo menos 11 inquéritos por crimes como roubos, tentativa de latrocínio, dano, receptação, associação criminosa, crime de incêndio, adulteração de chassi e por integrar organização criminosa.

Durante diligência até o distrito de Santa Fé, na zona rural, os agentes o viram saindo de uma residência próxima a uma praça. Ao ser abordado, "Fernando Bombado" forneceu um documento de identidade falso, com outro nome. Questionado, o suspeito admitiu manter uma arma de fogo dentro do imóvel dele.



No local, foram apreendidos uma pistola calibre .40, um carregador contendo 13 munições e alguns aparelhos celulares, os quais serão periciados. Além do cumprimento do mandado, ele também foi autuado em flagrante por posse ilegal de arma de fogo, uso de documento falso e receptação.

A investigação teve apoio da Delegacia de Repressão às Ações Criminosas Organizadas (Draco), dos departamentos de Inteligência Policial (DIP) e de Polícia Judiciária do Interior Norte (DPJI-Norte), da Coordenadoria de Inteligência (Coin) da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), e da Secretaria da Administração Penitenciária (SAP).

Ligação com criminosa

As investigações concluíram que "Fernando Bombado" tinha ligações com Almerinda Marla Barbosa de Sousa, 39 anos, a "Irmã Ruiva", presa em novembro de 2020 em Jijoca de Jericoacoara. Ela figurava como uma das mulheres mais procuradas no Estado.

De acordo com a Polícia Civil, "Irmã Ruiva" ajudava"Fernando Bombado" a executar crimes como homicídios. Na ocasião da prisão da suspeita, foi cumprido mandado de prisão em aberto por tráfico de drogas e por integrar organização criminosa.

Como denunciar

A Draco conta com a ajuda da população durante as investigações. Informações, vídeos, fotos e áudios que possam ajudar a Polícia Civil podem ser repassados por meio do WhatsApp (85) 98969-0182.

As denúncias também pode ser realizadas por meio do número 181, o Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS). A ligação é gratuita; o sigilo e o anonimato, garantidos


Diário do Nordeste

Postar um comentário

0 Comentários