Trecho do Anel Viário e viaduto da CE-065 são liberados para o tráfego de veículos





A entrega completa de toda a obra de duplicação do Anel Viário pela Superintendência de Obras Públicas (SOP), realizada em convênio com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit)


O Governo do Ceará liberou trechos para o tráfego de veículos na Região Metropolitana de Fortaleza. O primeiro deles foi o viaduto da CE-065, sobre o Anel Viário, nos dois sentidos (Fortaleza-Maranguape). Além disso, foi aberto o trecho do Anel Viário sentido Caucaia-Maracanaú – a pista inversa já estava autorizada para a passagem de veículos.

Com isso, todo o entroncamento do Anel Viário com a CE-065, que são as principais conexões entre a Capital, Maranguape, Caucaia e Maracanaú está completamente liberado para a passagem de veículos.

“A duplicação do Anel Viário vai desafogar todo o tráfego de veículos na Região Metropolitana de Fortaleza, além de favorecer o transporte de carga, melhorar a ligação entre os portos do Pecém e do Mucuripe, e promover mais segurança ao deslocamento da população entre os principais polos da RMF”, citou o governador Camilo Santana.

A entrega completa de toda a obra de duplicação do Anel Viário pela Superintendência de Obras Públicas (SOP), realizada em convênio com o Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit), do Governo Federal, deve ocorrer ao longo deste ano. Os trabalhos continuam nas estruturas de ligação entre Anel Viário e CE-065, assim como em outros pontos da rodovia federal, onde seguem em implantação de alças e acessos, retornos e ciclovias.

A ampliação da capacidade do Anel Viário (BR-020) é fundamental para o fortalecimento do corredor logístico na Região Metropolitana de Fortaleza (RMF). Em conjunto com a CE-010, a BR-222 e a CE-155, o Anel Viário proporciona a ligação entre os portos do Pecém e do Mucuripe. E, por meio também da interligação com as rodovias BR-116 e CEs 040, 060 e 065, viabiliza melhor deslocamento para os polos produtivos da RMF e de todo o Estado.


Focus Jor

Postar um comentário

0 Comentários