Sertão Central e Litoral Leste têm maiores taxas de transmissão da Covid no Ceará





Embora o Ceará atravesse um momento de tendência de redução de casos de Covid-19, a Secretaria Estadual da Saúde (Sesa) ainda considera preocupante a situação de transmissão da doença. No momento, duas das cinco macrorregiões de saúde apresentam maior alerta: Sertão Central e Litoral Leste/Jaguaribe.

A análise foi compartilhada pelo titular da Sesa, o Dr. Cabeto, em transmissão ao vivo ao lado do governador Camilo Santana, nessa sexta-feira (7). Na ocasião, eles informaram que o novo decreto estadual que dispõe sobre a liberação de atividades permanece sem avanços em relação à semana anterior.

Temos tendência de redução de casos, mas um grande número de internações e percentual de leitos de UTIs ocupados. Há redução de pressão sobre as UPAs, possibilitando melhor atendimento, mas mesmo assim ainda é preciso muita cautela, ainda temos limiares muito altos para considerar a pandemia controlada”
DR. CABETO
Secretário da Saúde

Para os alertas regionais, os analistas da Sesa consideram a taxa de reprodução (Rt), que avalia o potencial de disseminação do coronavírus. Se ele é maior que 1, cada infectado transmite a doença a, pelo menos, mais uma pessoa. Se é menor que 1, a tendência é que o número de contágios retroceda.

Abaixo, confira o número Rt por região calculado para o período entre 7 e 27 de abril e a análise da Sesa:

Sertão Central (20 municípios): 1,20

Todos os municípios estão em nível  “altíssimo” para transmissão da Covid, de acordo com a plataforma IntegraSUS. Há preocupação com cidades como Quixadá, Canindé, Quixeramobim e Tauá. Ontem, o Hospital Regional da área (HRSC) abriu 44 leitos de enfermaria que, segundo Camilo Santana, já estão com pacientes.

Litoral Leste/Jaguaribe (20 municípios): 1,06

Assim como no Sertão Central, todos os municípios estão em nível  “altíssimo” para transmissão da doença. O governador informou que, “em breve”, serão abertos leitos de UTI em Aracati. O Dr. Cabeto ressaltou que essas duas regiões “merecem todo o cuidado e atenção dos gestores públicos”.

Cariri (45 municípios): 0,99

O Rt está abaixo de 1, mas muito próximo dele. O Dr. Cabeto lembra que uma das peculiaridades da região é o aumento na demanda por leitos. Atualmente, o cenário também indica altas taxas de positividade. Apenas dois municípios estão no nível “alto”, mas os demais estão em nível  “altíssimo” para transmissão da Covid.

Sobral (55 municípios): 0,95

Embora abaixo de 1, o Rt da área norte - que inclui cidades de Jijoca de Jericoacoara a Quiterianópolis - teve aumento em relação ao período anterior (0,89 entre 30 de março e 19 de abril). Para Cabeto, a região exige “uma análise mais cuidadosa, dia a dia”. Por lá, unidades de saúde de Camocim e Acaraú devem ser contempladas com novos leitos em breve.

Todos os municípios estão em nível  “altíssimo” para transmissão da Covid.

Fortaleza (44 municípios): 0,88

Todos os municípios também estão em nível  “altíssimo” para transmissão, mas a taxa de reprodução ainda é a menor do Estado. Camilo afirmou que, na próxima semana, deve começar a funcionar o hospital de campanha do Maciço de Baturité, em Aracoiaba - serão 30 leitos de enfermaria e 10 UTIs.

“É preciso, provavelmente, que se passem ainda algumas semanas para que a gente tenha a pandemia num controle mais seguro”, ressaltou o Dr. Cabeto.

AMPLIAÇÃO DE LEITOS

O governador Camilo Santana garantiu que o Estado tem priorizado a assistência em saúde. Houve 74% de aumento na quantidade de leitos extras exclusivos para tratamento da Covid, em comparação com 2020. Em maio do ano passado, eram 2.951 leitos ativos. Em abril, o número chegou a 5.146.


Diario do Nordeste

Postar um comentário

0 Comentários