Ceará tem mais de 460 mil pessoas que desistiram de procurar emprego





Não foi só o desemprego tradicional que atingiu valores expressivos entre os anos de 2020 e 2021. A população desalentada cearense, por exemplo, cresceu 21% do primeiro trimestre do ano passado para o mesmo período de 2021.

Com isso, o Ceará registra 466 mil pessoas que desistiram de procurar emprego. É o maior número registrado desde 2012. Os dados são da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílios (PNAD) do Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).

De acordo com o IBGE, o grupo contempla as pessoas que não realizaram nenhuma busca por trabalho por não considerar que conseguiriam, por não ter qualificação ou experiência, por ser muito jovem ou muito idoso.

No entanto, essas pessoas estão disponíveis ao trabalho, mas desistiram de buscar vagas pelos motivos supracitados.

“Essa discussão já vem desde a década de 1980, que mostra que o desemprego é muito mais complexo, é o caso dos desalentados”, explica Erle Mesquita, analista de mercado de trabalho do Instituto de Desenvolvimento do Trabalho (IDT).

Com informações do Diário do Nordeste.

Postar um comentário

0 Comentários