Ceará não exigirá receita médica para vacinar crianças contra a Covid-19, diz Camilo



 


Em posição contrária ao Ministério da Saúde, o governador Camilo Santana (PT) afirmou que o Ceará irá vacinar crianças de 5 a 11 anos contra a Covid-19 conforme a posição do Conselho Nacional de Secretários de Saúde (Conass). Estados não irão seguir recomendação do Ministério da Saúde, que prevê exigência de receita médica para aplicar o imunizante nessa faixa etária. 

"Jamais seguiremos os negacionistas, independente do cargo que ocupam. Esses estão mais preocupados em promover disputas ideológicas e políticas que salvar vidas", argumentou o governador. Na publicação feita nas redes sociais, Camilo diz ainda que o Estado continuará seguindo a Ciência e "respeitando o trabalho sério da Anvisa e a posição responsável do Conass"

Nessa sexta-feira, 24, entidade lançou nota pública afirmado que os Estados não irão exigir receita médica para a vacinação de crianças de 5 a 11 anos contra a Covid-19. Nessa quinta-feira, 23, Marcelo Queiroga afirmou que a vacinação nessa faixa etária deve ser condicionada à prescrição média e a um termo de responsabilização assinado pelos pais.

Ainda na quinta, o Ministério deu início à consulta pública sobre a vacinação de crianças entre 5 e 11 anos de idade contra a Covid-19. Contudo, sistema apresenta problemas técnicos e de segurança. Se mostra deficiente quanto à segurança de dados, não apresentando mecanismo antifraude.

Segundo Camilo, a Secretaria da Saúde está em contato diretamente com a Pfizer para se dispor a adquirir diretamente as doses para a população dessa faixa etária no Ceará, "caso o Governado Federal não adquira as doses para as crianças". Ele comentou a intenção durante anuncio do novo decreto sanitário cearense nessa quinta.


O Povo

Postar um comentário

0 Comentários