Ciro critica troca de voto de Caetano e Tico Santa Cruz: 'já estão com a vida ganha'



 Artistas aderiram à campanha de voto útil visando uma eventual vitória do ex-presidente Lula (PT) ainda no primeiro turno


O candidato à presidência da República, Ciro Gomes (PDT), criticou a campanha em defesa do voto útil aderida pelo adversário Luiz Inácio Lula da Silva (PT). Nessa quarta-feira (21), ele reclamou que os antigos apoiadores, os cantores Tico Santa Cruz e Caetano Veloso, tenham declarado apoio ao ex-presidente.

Segundo o pedetista, os artistas representam os eleitores que "já estão com a vida ganha" e não possuem preocupações maiores "com o dia seguinte". As declarações foram dadas durante sabatina promovida pelo Estadão/FAAP.

Quem está preocupado com o dia seguinte é quem não tem plano de saúde, é quem não tem como pagar mensalidade escolar, é quem está submetido ao terrorismo das facções criminosas nas periferias

CIRO GOMES

Candidato à Presidência da República

Ciro disse acreditar que um a cada três eleitores de Lula vota no ex-presidente não por simpatia, mas, sim, para impedir a recondução da "grosseria" e do "banditismo" do presidente Jair Bolsonaro (PL) ao cargo de chefe de Estado. 

País 'hiperfragmentado'

Para o candidato, o Brasil sofre com o "fascismo de direita" e o "fascismo de esquerda", este que ele afirma ser "liderado pelo PT". Ciro ainda acusa os adversários de quererem "simplificar de uma forma absolutamente dramática o debate e querem simplesmente aniquilar alternativas", o que ele destacou ser "uma tragédia para o Brasil".

Ciro defendeu que uma eleição realizada em dois turnos para escolher o próximo presidente da República acontece porque o País é "hiperfragmentado", e diferentes espectros político-ideológicos convivem. 

Ainda segundo ele, no primeiro turno, o eleitor pode escolher votar no candidato que mais lhe representa "no campo dos valores e das doutrinas". Já na possível segunda etapa do pleito, aqueles menos votados devem se posicionar, a partir dos votos a eles confiados, como "fiscalização" e "movimentando oposição qualificada".

Pressão por desistência da candidatura 

Políticos e intelectuais da América Latina divulgaram uma carta aberta em que pedem que Ciro desista de concorrer à presidência em prol de uma eventual vitória da Lula no primeiro turno.

Membros e ex-integrantes do partido do político, o PDT, também se manifestaram contra a chapa do ex-ministro e a favor do voto útil.



Diário do Nordeste

Postar um comentário

0 Comentários