Simaria nega romance com DJ Ivis: 'Não achei meu periquito no lixo'




Após rumores de que Simaria estaria vivendo um romance com o DJ Ivis, a cantora desmentiu a história no PodCats. Segundo a famosa, não teria uma relação com o homem, que foi flagrado batendo na ex-mulher, Pâmella Holanda.

"Você acha que achei a minha periquita no lixo para dar ao DJ Ivis? Uma mulher que nem eu, maravilhosa, uma mulher inteligente, sensual, gata, que tem dinheiro, tem dois filhos lindos", destacou a famosa.

No papo no podcast, Simaria comentou que um jornalista espalhou o boato, assim como o outro disse que ela teria um caso com o marido da irmã Simone, Kaká Diniz. Em meio às acusações, a estrela também negou qualquer envolvimento amoroso com o cunhado.

Na entrevista, Simaria ainda esclareceu mais detalhes do término do casamento e acrescentou que não quis se envolver com ninguém após a separação.

"Eu não fiquei com ninguém. Fiquei uns oito meses separada dele, dentro de casa, e ninguém me tocou. Foi uma decisão minha, eu precisava olhar quem era a Simaria de verdade. Meu corpo é sagrado. Quem me conhece sabe que eu nunca fui uma menina de sair ficando com um ou com outro", finalizou.

Prisão

DJ Ivis passou quase quatro meses detido após ser acusado de agredir a ex-mulher, Pamella Holanda. Ela compartilhou nas suas redes sociais uma série de vídeos que mostrava o artista a atacando com tapas, socos e chutes.

Em 27 de julho de 2021, o músico foi indiciado pela Polícia Civil do Ceará por três crimes: lesão corporal, ameaça e injúria no âmbito da violência doméstica. Em outubro, a Justiça do estado do Ceará aceitou a denúncia do MPCE (Ministério Público do Ceará), e o artista ainda se tornou réu por lesão corporal e ameaça — com circunstância agravante.

Após deixar a prisão, ele se pronunciou sobre o assunto após deixar a prisão. "Sei que errei. Mas também sei que posso ser uma pessoa melhor", afirmou.

Em caso de violência, denuncie

Ao presenciar um episódio de agressão contra mulheres, ligue para 190 e denuncie.

Casos de violência doméstica são, na maior parte das vezes, cometidos por parceiros ou ex-companheiros das mulheres, mas a Lei Maria da Penha também pode ser aplicada em agressões cometidas por familiares. Também é possível realizar denúncias pelo número 180 — Central de Atendimento à à Mulher — e do Disque 100, que apura violações aos direitos humanos.

Há ainda o aplicativo Direitos Humanos Brasil e através da página da Ouvidoria Nacional de Diretos Humanos (ONDH) do Ministério da Mulher, da Família e dos Direitos Humanos (MMFDH). Vítimas de violência doméstica podem fazer a denúncia em até seis meses.


UOL

Postar um comentário

0 Comentários