Bugueiros fazem paralisação contra nova taxa da Prefeitura de Camocim e pedem anulação de cobrança




 Um grupo de bugueiros e outros trabalhadores de transporte turístico fizeram uma manifestação neste sábado (21) para que a Prefeitura de Camocim pare de cobrar a taxa extra para entrada de veículo do setor no município. Vários veículos ficaram parados em uma das praias da região. 

A paralisação contou com o apoio dos balseiros, que transportam carros para o Parque Nacional de Jericoacoara. 

"Nossa categoria envolve caminhonete, utv, quadricículo, pessoal do transfer, e há anos vamos sofrendo perseguições por causa de governos e também tem a questão de taxas abusivas. Hoje a nossa manifestação está voltada a tentar derrubar essa taxa da Prefeitura de Camocim, porque isso é uma piada", disse o bugueiro Elivandro Brito.

"Eles estão botando uma taxa em cima da gente. Todas as prefeituras já têm alvarás, então temos alvará de turismo, de veículo, e eles estão querendo, além disso, que a gente tenha um alvará exclusivo para entrar em Camocim, que nenhum dos carros deles têm esse alvará para entrar em outras cidades", completou.

Ao todo, segundo Brito, a categoria de carros de transporte turístico na região conta com mais de 4 mil veículos. 

PARALISAÇÃO PACÍFICA

Brito ainda destacou que a manifestação tem o intuito de unir a categoria, além de reforçar o pedido de desburocratização do setor. O bugueiro ressaltou que uma das pautas é conseguir a unificação dos alvarás para operação de transporte turístico nas cidades próximos ao Parque de Jericoacoara.

"A gente quer unir a categoria, também, para termos apenas um documento que ateste que a gente pode entrar nesses municípios turísticos, que são Cruz, Jijoca, Camocim e Acaraú", disse. 

"Se todos os municípios aderirem a taxas como essa, acabou o setor de transporte turístico", completou.

Brito ainda reforçou que a manifestação tem sido pacífica, sem haver impedimento para que outros carros transitem na região.

"A paralisação está bem pacífica e não estamos impedindo ninguém de passar. Ela tem sido pacífica, mas os balseiros, que fazer um trabalho de transporte, disseram que vão aderir à manifestação e não vão trabalhar. Então não estamos impedindo ninguém de passar, mas eles aderiram e o único transporte é as balsas", comentou. 

NOVOS BUGUEIROS

Elivandro também comentou que a categoria está buscando um controle maior do número de alvarás e permissões para operação dos bugueiros na Região. A justificativa é de que o setor estaria saturado, além de não haver estudos de impactos ambientais relacionadas à operação. 

"O ICMbio (Instituto Chico Mendes de Conservação da Biodiversidade) nunca fez um estudo de impacto do número de carros que o parque de Jericoacoara comporta sem que haja impactos ambientais. Todo ano tem abertura de novas vagas, novos carros entram e pessoas sem credenciamento entram sem restrição, mas o trade está saturado", disse. 

REPOSTA DA PREFEITURA

Sobre a manifestação que pede a anulação da cobrança da taxa, a Prefeitura de Camocim afirmou que as novas normas estão focando na garantia de uma operação sustentável do transporte turístico no município "aliando crescimento econômico com a preservação ao meio ambiente". 

"Em 4 de novembro de 2022, foi sancionada a Lei Municipal n° 1588/2022, de 04 de novembro de 2022, de autoria do Poder Executivo, que dispõe sobre normas concernentes à circulação e ao estacionamento de veículos de transporte turísticos, promovendo o desenvolvimento sustentável do Município de Camocim e aliando crescimento econômico com a preservação ao meio ambiente", diz a Prefeitura.

"Neste sentido, a gestão municipal está mapeando rotas turísticas do nosso litoral, visando a prevenção de acidentes e o cuidado ao meio ambiente, aliando segurança, bem-estar e preservação ambiental", continua a nota.

Diario do Nordeste

Postar um comentário

0 Comentários