Carros e motos são flagrados trafegando irregularmente em praias do Ceará





O tráfego irregular de carros, motocicletas e outros veículos no litoral do Ceará atrapalha o cotidiano de banhistas e empreendedores, aumenta a sensação de insegurança e pode causar impactos ambientais. O g1 recebeu vídeos que flagram essa movimentação em quatro praias cearenses: do Preá em Cruz, da Barrinha em Acaraú, de Icaraizinho em Amontada e Prainha em Aquiraz.

O professor de kitesurf José Wandeson, morador nativo da Praia do Preá, reclamou do trânsito ilegal dos veículos nas faixas de areia. "Acontece muito acidente com o velejador, com os banhistas. Essa movimentação de carros na praia está insuportável. É muito perigoso", lamentou.

"Os pais ficam inseguros de estarem na aula com crianças e ter aqueles carros próximos; de ser arrastado pelo carro porque o veículo se choca com as linhas. Se for uma motocicleta ou um quadriciclo, quem é prejudicado é quem está pilotando, porque a linha machuca", comentou o professor.

g1 entrou em contato com as prefeituras dos quatro municípios (Acaraú, Amontada, Aquiraz e Cruz), mas obteve resposta apenas do governo municipal de Amontada até a publicação desta reportagem.


Em um dos vídeos enviados ao g1, é possível assistir ao momento em que passa um carro da Polícia Militar ao lado de um veículo estacionado irregularmente na faixa de areia da praia de Icaraizinho, em Amontada, mas a equipe não aborda o grupo.

A prefeitura do município disse, por nota, que destina equipes nos fins de semanas e feriados às regiões praianas do município para tentar coibir o tráfego irregular de veículos nas praias, e proporcionar maior segurança a todos que as frequentam. “Porém, a maior parte dessas ocorrências ocorre justamente quando não há nenhuma equipe de fiscalização de trânsito, por nossa parte ou pelo Detran/CE”, disse o governo municipal.

“Salientamos que trabalhamos de maneira diligente para que possamos sanar tal prática, onde realizamos palestras e rodas de conversa com os locais, o fechamento das principais vias de acesso às áreas praianas, e sempre que possível solicitamos apoio do BPTUR e Detran/CE, pois a prioridade é sempre a segurança dos frequentadores de nossas praias”, complementou a Prefeitura de Amontada.

Por fim, o Executivo municipal informou que atualmente não emite multas a quem comete tal infração, pois se encontra em processo final de regulamentação para a emissão. “Porém, em casos graves fazemos a ocorrência e encaminhamos ao Ministério Público para que sejam tomadas as providências necessárias”, explicou.


IMPACTO AMBIENTAL

O trânsito ilegal nas faixas de areia pode trazer ainda impactos ambientais. O doutor em ciências marinhas tropicais, Renan Guerra, comentou que as consequências estão diretamente ligadas ao aumento das atividades nas áreas de faixa de praia, especialmente com relação às movimentações econômicas nestes espaços.

"Um perigo que já vem logo de cara é o atropelamento de animais, e também dos locais de desova — associados às tartarugas marinhas. Como resultado, a gente tem um possível afugentamento dessa fauna costeira marinha; não só formado por animais que migram do ambiente marinho para se alimentar e criar espaços de reprodução, mas também algumas aves", comentou.

"Outro ponto pouco tocado é do transporte eólico de areias ou a potencialização desse transporte. Isso a partir da remoção da vegetação costeira que serve não só para estabilizar as dunas, mas também ambientes de deflação — que ficam logo após as faixas de praia", explicou o pesquisador júnior do programa Cientista-Chefe Meio Ambiente, da Secretaria do Meio Ambiente (SEMA).

Renan Guerra citou ainda o impacto nas dunas do estado. "A gente tem também a identificação de desmonte de cordões de dunas frontais, que são aquelas que vem logo após a faixa de praia (olhando do mar para o continente). Apesar de serem dunas embrionárias, elas têm papel crucial na defesa primária do litoral", complementou.

O que diz a legislação estadual

O Detran-CE informou que realiza fiscalizações em todo o litoral cearense, de forma coordenada, para coibir o trânsito indevido de veículos na faixa de areia frequentada por banhistas e demais pedestres.

O órgão reforçou que vai intensificar a fiscalização neste período de férias e disse ainda que, de acordo com o Código de Trânsito Brasileiro (CTB), transitar em locais e horários não permitidos é uma infração prevista no art. 187 do CTB para todos os tipos de veículos, com multa de R$ 130,16 e 4 pontos na CNH.

Por fim, o órgão estadual orientou aos turistas e frequentadores de praias, que busquem sempre empresas devidamente credenciadas para realizar passeios de buggy, em trechos devidamente permitidos, que não ofereçam riscos aos pedestres, e utilizem sempre o cinto de segurança nesses veículos, assim como não exceder o número de passageiros nos buggys e não circular com velocidade acima de 40km.

Já o cientista Renan Guerra sugeriu o estabelecimento de rotas como uma medida que pode ser adotada, de maneira inicial, pelo poder público para evitar o tráfego irregular nesses locais. "E, em um segundo momento, ações mais de coerção, de fiscalização para que se faça cumprir aquilo que é decidido pelo órgão, pela regulação da ordenação do trânsito nesses trechos de faixa de praia", comentou.

G1

Postar um comentário

0 Comentários