Recomendação da CNM para Municípios não pagarem piso do magistério gera frustração a professores




 Os professores acompanham com atenção os debates e a manifestação da Confederação Nacional de Municípios (CNM) que está desaconselhando as Prefeituras a pagarem o reajuste salarial de 14,9% do piso salarial do magistério. O novo piso está fixado em R$ 4.420,55.

Segundo a CNM, se cumprida a portaria do Ministro da Educação, Camilo Santana, que trata do aumento salarial, o impacto nos cofres das 5.568 cidades brasileiras será de R$ 19,4 bilhões, sendo que, desse total, R$ 1 bilhão, 230 milhões, 840 mil correspondem aos 184 Municípios do Ceará. A entidade municipalista considera o reajuste inconstitucional.

REAÇÃO DE PROFESSORES

A polêmica sobre o piso salarial dos professores ganha destaque, nesta quarta-feira.

A movimentação da CNM contrária ao reajuste do piso salarial deixa frustrados os professores que consideram que, para falar de educação, as palavras são sempre bonitas, mas, na hora de defender melhoria das condições de trabalho, o discurso é outro.

Ceará Agora

Postar um comentário

0 Comentários