Operação tenta localizar possíveis músicas inéditas do cantor Renato Russo



 Um dos alvos das buscas foi um estúdio de gravação, que teria sido usado pelo ex-vocalista da banda Legião Urbana nos últimos anos de vida


RIO — Policiais da Delegacia de Repressão aos Crimes Contra a Propriedade Imaterial ( DRCPIM) cumpriram, nesta segunda-feira, mandados de busca e apreensão em três endereços, para tentar identificar e localizar possíveis obras inéditas do cantor Renato Russo, que morreu em 1996. As ordens judiciais foram expedidas pelo Tribunal de Justiça do Rio.

Um dos alvos das buscas foi um estúdio de gravação, que teria sido usado pelo ex-vocalista da banda Legião Urbana em seus últimos anos de vida. O objetivo é o de confirmar ou não se o proprietário do estúdio estaria supostamente guardando músicas inéditas do artista. Até o momento, foram apreendidos HDs e cartuchos de gravação. O material será analisado pela polícia.

— Importante diligência realizada hoje. Foi possível arrecadar elementos de provas cruciais para a continuidade da investigação e esclarecimento total dos fatos — diz o delegado Maurício Demétrio, titular da DRCPIM.

Batizada de Operação Será, em referência a uma música do cantor, a ação é a segunda fase de uma investigação que começou há quase um ano. A apuração teve início depois que Giuliani Manfredini, filho de Renato Russo e detentor dos direitos autorais do pai, denunciou suspeita de ocultação de músicas inéditas na especializada.

O Globo

Postar um comentário

0 Comentários