Alchmyst Beach Club investirá R$ 1 milhão em empreendimento de Jericoacoara





Os recursos foram liberados pelo BNB, por meio do Fundo Geral do Turismo, linha de crédito viabilizada pelo Ministério do Turismo.


O restaurante Alchmyst Beach Club foi contemplado com R$ 1 milhão para investir no empreendimento de Jericoacoara. O recurso foi liberado pelo Banco do Nordeste, por meio do Fundo Geral do Turismo (Fungetur), linha de crédito viabilizada pelo Ministério do Turismo.

A instituição também liberou R$ 107,9 mil para a RM Terceirização, que presta serviços no setor de eventos e turismo, em Recife. Ao todo, a instituição financeira liberou R$ 1,6 milhão da linha de crédito para empreendedores da região. E, segundo o Ministério do Turismo, “os recursos seguem disponíveis para alcançar mais empreendedores”.

“Não tenho dúvidas de que esse dinheiro vai fazer a diferença na vida dos empreendedores do setor de turismo garantindo, principalmente, capital para o funcionamento das empresas e, consequentemente, a manutenção dos empregos e a geração de renda no País”, disse o ministro do Turismo, Gilson Machado Neto.

Para viabilizar a oferta de crédito, o Ministério do Turismo já disponibilizou R$ 250 milhões do total de R$ 500 milhões reservados para oferta do Fungetur por meio do Banco do Nordeste. Outras cinco instituições de fomento regional, além da Caixa Econômica Federal, estão aptas a operar recursos do Fungetur na região Nordeste, atendendo a empreendedores do setor de turismo de todos os portes. Com isso, mais de R$ 44 milhões já foram liberados a empreendedores locais por meio do Fungetur desde o ano passado em 65 municípios.

A maior parte dos recursos foi direcionada a micro e pequenas empresas (60%) e atendeu, principalmente, a demanda por capital de giro (74%) – dinheiro necessário para bancar o funcionamento de uma empresa.

Fungetur
O Fundo Geral do Turismo é uma linha de financiamento operada com recursos do Ministério do Turismo e que, diante do cenário de crise provocado pela pandemia, disponibilizou R$ 5 bilhões ao setor. “Os recursos possibilitaram que milhares de empregos fossem preservados ao socorrer empreendedores impactados pela COVID-19 por meio do acesso ao crédito no país inteiro”, diz a pasta.

Os recursos podem ser usados tanto para capital de giro quanto para aquisição de bens, como máquinas e equipamentos. Podem ser usados, ainda, para a realização de obras de construção, modernização e ampliação para a retomada das atividades, além de reformas em geral nos empreendimentos paralisados pela pandemia.

Focus Jor

Postar um comentário

0 Comentários