Pode beber infectado com Covid-19?





Com as variantes e o aumento no número de infectados muitos questionamentos rondam a infecção de coronavírus. Nesta fase da pandemia, após a vacinação, a quantidade de pessoas que contraiu o vírus chegou a 97,2 mil casos e um dia no Brasil, no entanto, o número de internações é baixo. 

Mas, é recomendado beber enquanto estiver infectado com Covid-19? 

Veja o que diz a OMS.

Pode beber infectado com Covid-19?

As recomendações da Organização Mundial da Saúde (OMS) para o consumo de bebidas alcoólicas durante a infecção de Covid-19 estão relacionadas ao sistema imunológico.

Isso porque, ao beber, o sistema imunológico de uma pessoa costuma enfraquecer. Isso faz com que contrair a Covid-19 fique mais "fácil" do que em condições comuns, quando não se está sob efeito de álcool.

O álcool tem um efeito deletério no sistema imunológico e não estimula a imunidade e resistência a vírus. É como se o álcool reduzisse a capacidade de lidar com doenças infecciosas.

Beber álcool mata o vírus da Covid-19?

Não. Mesmo que muitas pessoas brinquem com o uso de álcool gel nas mãos para matar o vírus e o consumo de bebidas alcoólicas para fazer o mesmo, isto não é verdade. O álcol não mata o vírus da Covid-19.

Ou seja, mesmo que seja injerido cerveja, álcool, gin, cachaça, bebidas destiladas ou qualquer outro tipo de bebida alcoólica o vírus pode sim infectar a pessoa que fizer o uso do mesmo.

O álcool também não desinfeta boca e garganta. Por isso beber álcool não vai fornecer nenhum tipo de proteção contra o coronavírus. Consumir álcool pode aumentar os riscos para a saúde se uma pessoa for infectada pelo vírus.

Além disso, é importante lembrar que não se deve misturar álcool com medicamentos. Muitos remédios têm sua ação diminuída com o uso de bebidas alcoólicas, e outros tem a potência aumentada com essa mistura, tornando-os tóxicos e perigosos, principalmente remédios que agem no sistema nervoso central e causam sonolência.

Efeitos do álcool no organismo

Vale lembrar que o consumo de bebida alcoólica pode levar à dependência e em alguns casos até à morte.

Em relação à vacinação existem alguns estudos que não anulam os efeitos de imunização contra a Covid-19 no organismo, no entanto, alguns “contratempos” podem ocorrer após o consumo de bebidas alcoólicas como por exemplo, a vulnerabilidade às reações alérgicas.

Além dessa vulnerabilidade, de acordo com especialistas também é possível que haja uma diminuição das atividades imunológicas do organismo. São elas que fazem a formação dos anticorpos protetores.

O aumento de efeitos colaterais após a vacina também pode acontecer se houve o consumo de bebidas alcoólicas antes ou depois da vacinação.

No entanto, é importante lembrar que o consumo de bebidas alcoólicas podem causar outros inúmeros problemas no organismo não relacionados à vacina, por isso, beba com moderação.

Tudo sobre beber cerveja ou álcool infectado com Covid-19

No Brasil o hábito de tomar bebida alcoólica durante a semana, ou uma cerveja após o trabalho é comum;

Não é recomendado beber cerveja ou qualquer tipo de álcool enquanto estiver infectado com Covid-19;

De acordo com especialistas, ainda não há estudos específicos que relacionam os efeitos do consumo de bebidas alcóolicas com a vacinação do coronavírus;

O sistema imunológico de uma pessoa costuma enfraquecer. Isso faz com que contrair a Covid-19 fique mais "fácil" do que em condições comuns.

O álcool tem um efeito deletério no sistema imunológico e não estimula a imunidade e resistência a vírus;

O álcool também não desinfeta boca e garganta;

Não se deve misturar álcool com medicamentos.


NSC Total

Postar um comentário

0 Comentários