USP inaugura laboratório para estudos de fenômenos paranormais



 Universidade diz que Laboratório do Impossível será dedicado ao desenvolvimento do pensamento crítico e à discussão sobre a relação entre ciência e crenças



Um laboratório diferente foi inaugurado em 14 dezembro pela Universidade de São Paulo (USP), para fomentar estudos sobre a influência de fenômenos considerados impossíveis ou sobrenaturais e a sua relação com as crenças e o conhecimento científico.

O Laboratório do Impossível, localizado na Cidade Universitária, abrigará parte das atividades realizadas pelo Laboratório de Estudos Psicossociais Crença, Subjetividade, Cultura & Saúde (InterPsi), do Instituto de Psicologia da USP. Segundo o coordenador do InterPsi, Wellington Zangari, a ideia é que o espaço, que teve suas instalações totalmente reformadas recentemente, seja dedicado à realização de atividades de extensão, para promover o diálogo entre a arte mágica e a ciência.

As atividades do laboratório serão desenvolvidas especificamente para estudantes do ensino fundamental e médio, principalmente de escolas públicas. A intenção é aproximar crianças e adolescentes da ciência e da universidade.

Além do Laboratório do Impossível, o espaço também contará com mais dois ambientes: o Museu da Crença e da Cultura da Paz, que exibirá artefatos ligados a crenças, práticas e experiências religiosas, esotéricas, paranormais, anômalas e pseudocientíficas; e a Biblioteca Quevedo-Cobêro, que receberá o acervo do Centro Latino-Americano de Parapsicologia (Clap), fundado pelo Padre Quevedo, famoso parapsicólogo que reuniu, ao longo de quatro décadas, uma coleção composta de cerca de 15 mil itens sobre o tema.

Revista Oeste

Postar um comentário

0 Comentários