Brasileira presa na Tailândia manda áudio pedindo julgamento no Brasil




 

A brasileira Mary Hellen Coelho Silva, 21 anospresa na Tailândia por tráfico de drogas com outros dois brasileiros, enviou um áudio para a família suplicando para a irmã, Mariana Coelho, contratar um advogado para que ela responda pelo crime no Brasil. No país asiático, condenado pelo crime podem sofrer pena de morte.

No áudio, enviado por WhatsApp, Mary Hellen fala no nome de um advogado, segundo informações do G1: "Eu vou te passar o contato do doutor Edson. Por favor, liga pra ele. Fala pra ele fazer alguma coisa. Fala pra ele mandar a gente pro Brasil, pra gente responder lá”, diz a acusada, com voz de choro e aparentando desespero.  

SEGUNDO BRASILEIRO PRESO É IDENTIFICADO

O segundo brasileiro preso e identificado é Jordi Vilsinski Beffa, de 24 anos, morador de Apucarana, Paraná. Ele chegou ao aeroporto horas depois em outro voo. As autoridades tailandeses informaram não saber se ele conhecia os outros suspeitos. 

prisão dos três brasileiros aconteceu no dia 14 de fevereiro, Mary Helen chegou ao país asiático com Jordi Beffa. Eles saíram de Curitiba e, após escalas, chegaram ao país em um voo, por volta das 7h. 

DROGAS ENCONTRADAS 

De acordo com o G1, a droga foi encontrada com o homem e a jovem após a equipe do aeroporto desconfiar de itens mostrados no raio-X. Os funcionários da alfândega revistaram as três malas dos passageiros e encontraram 9 kg de cocaína. A droga estava escondida em um compartimento oculto.

Com Jordi Vilsinski Beffa os agentes encontraram 6,5 kg de cocaína escondidos em duas malas.

EMBAIXADA BRASILEIRA 

O Itamaraty informou que está acompanhando a situação e que presta assistência aos brasileiros, mas não detalhou o que está sendo feito em relação ao caso. O órgão disse ainda que "em observância ao direito à privacidade", não pode fornecer dados específicos sobre "casos individuais de assistência a cidadãos brasileiros".

QUEM É MARY HELEN

Mary Hellen Coelho Silva morava com a mãe e seus quatro irmãos em Pouso Alegre, no sul de Minas Gerais. A jovem trabalhava em uma churrascaria, mas segundo a irmã, ela pediu demissão alguns dias antes. 


Diario do Nordeste

Postar um comentário

0 Comentários