Empresários de provedores de internet protestam contra aumento de taxa pela Enel no Ceará



 Empresários e trabalhadores de provedores de internet no Ceará se reuniram nesta segunda-feira (21), no entorno da Arena Castelão, para se manifestar contra o aumento da taxa de utilização de postes cobrada pela Enel Distribuição Ceará. Segundo eles, a taxa que hoje é cobrada por até R$ 12 por poste subirá mais de seis vezes, passando de R$ 70 por poste.

Em nota, a Enel informou que "não está realizando cobrança indevida ou de uma nova taxa", e a decisão "não terá efeito imediato", pois um censo está sendo realizado a fim de saber como suas estruturas estão sendo utilizadas.

Para Davi Leite, organizador do protesto e empresário de telecomunicações, o aumento da taxa poderá quebrar vários provedores de pequeno e médio porte e fará com que o repasse da taxa chegue aos consumidores.

"Isso me afetou 1.000%, o meu faturamento e o meu crescimento. Eu praticamente vou quebrar com essas taxas abusivas que a Enel está colocando para a gente goela abaixo for aceita. A gente não quer aumentar as mensalidades dos nossos clientes e, por isso, precisamos do apoio da população", diz.

Segundo ele, se a taxa for confirmada, mais de 100 mil empregos podem ser fechados. Davi, por exemplo, emprega cerca de 50 pessoas, mas outros empresários chegam a promover mais de 300 postos de trabalho.

Em nota, a Associação Brasileira de Provedores de Internet e Telecomunicações (Abrint) disse que "esses valores podem tornar insustentável a atividade dos provedores regionais de internet, obrigando o repasse dos custos aos consumidores finais".

"Além do claro impacto econômico, a situação deverá trazer também fortes impactos sociais, com efeito negativo sobre os níveis de acesso à internet e inclusão digital no estado do Ceará. A Abrint está atenta e vem atuando em conjunto com os provedores locais para sensibilizar as autoridades políticas e regulatórias para buscar soluções para o problema", afirmou.

Veja a nota da Enel na íntegra:

A Enel Distribuição Ceará informa que não está realizando cobrança indevida ou de uma nova taxa, mas passará a fazer a cobrança dos equipamentos de telecomunicação instalados nas infraestruturas da distribuidora.

A empresa esclarece que essa decisão não terá efeito imediato, uma vez que ainda está realizando levantamento de informações de equipamentos que ocupam sua infraestrutura por meio de censo e dos projetos apresentados pelas operadoras, portanto, o faturamento se dará de maneira programada, à medida que o referido censo avance.

A Enel Ceará reforça ainda que cada operadora será notificada antes da emissão da sua fatura. A companhia também comunica que irá se reunir com as empresas de forma a esclarecer como serão feitas as cobranças e que vai seguir mantendo o diálogo durante todo o processo.

Sobre a natureza da cobrança, a Enel Distribuição Ceará informa que essa é uma condição já prevista nos contratos de Compartilhamento de Infraestrutura previamente assinados pelas empresas de telecomunicação do Ceará, e está nos termos da Resolução Conjunta Aneel/Anatel nº 4/2014 e também a Resolução Normativa 797/2017, sendo, portanto, uma cobrança devida.

A Enel Ceará reforça ainda que os contratos de compartilhamento da infraestrutura seguem a mesma natureza de cobrança entre todas as prestadoras de serviços de telecomunicação e grande parte dos valores arrecadados são repassados às tarifas de energia elétrica de todos os consumidores, contribuindo para a redução tarifária.


G1

Postar um comentário

0 Comentários