Exercícios aeróbicos aumentam eficácia da vacina contra Covid





Fazer 90 minutos de exercícios aeróbicos de intensidade leve ou moderada logo após tomar a vacina contra a Covid-19 aumenta a resposta imunológica e o tempo de eficácia do imunizante - situação que se repete com a vacina da gripe (influenza). Vale corrida, pedalada e até a boa e velha caminhada. Foi o que concluiu um estudo americano da Universidade Estadual de Iowa publicado neste mês de fevereiro, que mediu os efeitos dessa estratégia em 70 pessoas e 80 ratos nos quais foi aplicado o imunizante da Pfizer.


E o melhor: os exercícios pós-vacina aumentam apenas a resposta dos anticorpos, sem piorar as reações à vacina, como dor no corpo e febre, que podem aparecer normalmente no dia seguinte à imunização. Mas nada de se exercitar com febre ou mal-estar! Por isso, o ideal é apostar na atividade física logo depois da vacinação, quando a única reação costuma ser dor local no braço.

- Muita gente deve se perguntar: por que 90 minutos? Porque os pesquisadores fizeram o estudo com 45 minutos, primeiro, e não surtiu o efeito esperado. Então dobraram o tempo e a resposta foi muito positiva. Houve um aumento de uma série de enzimas, da interleucina 6 e das citocinas nas dosagens sanguíneas. O exercício logo após a vacina elevou esses índices de resposta imune - explica o médico do esporte e cardiologista Mateus Freitas Teixeira.

As citocinas e a interleucina 6 são proteínas que funcionam como importantes medidores de resposta inflamatória. O esporte de alto rendimento, por exemplo, deflagra a produção dessas enzimas, causando uma inflamação que nem sempre é saudável. Mas no caso da atividade física leve a moderada, essa é uma resposta aguda positiva que provoca um aumento de pressão arterial, frequência cardíaca e inflamação muscular na hora, mas estimula o corpo a responder a esse estresse. Por esse motivo, o exercício leve e moderado é um dos remédios para hipertensão, por exemplo.

- Quando levamos isso para o exercício pós-vacina, observou-se que é criada uma resposta imunológica aguda que melhora a qualidade e a duração do efeito da vacina - comenta Mateus, reforçando que não há contraindicação ao exercício após a vacinação: - Ele só não deve ser feito em caso de reação forte, como febre, o que geralmente acontece apenas no dia seguinte.

O médico do esporte lembra que pessoas que praticam atividade física regularmente também têm uma resposta vacinal melhor do que a dos sedentários. É o que aponta um estudo da Universidade de São Paulo (USP) publicado no fim de 2021, no qual os participantes que mantiveram pelo menos 150 minutos de atividade física semanal apresentaram níveis de anticorpos neutralizantes (capazes de combater o vírus) muito maiores do que os apresentados pelos sedentários.

Outro estudo publicado em abril do ano passado, reunindo pesquisadores de universidades inglesas, escocesas, belgas e espanholas, concluiu que uma pessoa ativa fisicamente tem 50% mais chance de ter uma contagem de anticorpos mais alta após a vacina.

Por isso, o recomendado é, sempre, manter uma frequência e regularidade de atividades físicas. E, à luz dessas novas informações, também se exercitar assim que se vacinar, por uma hora e meia e, de preferência, com atividades aeróbicas.

GE

Postar um comentário

0 Comentários