Governador anuncia pavimentação dos trechos Marco á Mocambo, e Marco a Morrinhos





O Governo do Ceará apresentou, nesta sexta-feira (18), os novos 738 km contemplados pelo Programa Ceará de Ponta a Ponta. São cerca de R$ 900 milhões aplicados prioritariamente em obras de pavimentação de rodovias estaduais, por meio de novos financiamentos junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID) e ao Banco de Desenvolvimento da América Latina (CAF), além de verba do Tesouro Estadual, visando a continuidade dos investimentos em infraestrutura rodoviária.

O anúncio foi feito pelo governador Camilo Santana, acompanhado pela vice-governadora Izolda Cela, pelo secretário das Cidades, Marcos Cals, e pelo superintendente de Obras Públicas, Quintino Vieira. O presidente da Assembleia Legislativa, Evandro Leitão, e o presidente da Aprece, Júnior Castro, também participaram da solenidade, entre outros deputados federais e estaduais e prefeitos presentes.

Com o pacote anunciado, em um horizonte de até cinco anos, a malha viária estadual deve ultrapassar os 9.300 km de extensão. O novo volume de obras múltiplas promovido pelo Ceará de Ponta a Ponta vai resultar em mais integração viária, geração de empregos diretos e indiretos e mais segurança e agilidade para o tráfego no estado.

Ao anunciar os trechos que ampliarão as rodovias estaduais, o governador Camilo Santana exaltou a solidez fiscal que assegura a capacidade de investimentos do Ceará. “Quando uma empresa vem se instalar, ela quer saber se tem infraestrutura. E o Estado tem feito isso. E só tem capacidade de fazer isso se for um estado equilibrado. Se somar de 2015 a 2021, o Ceará foi o estado que mais fez investimento público no país. Isso permite fazer rodovias, escolas, tudo isso. O Ceará é reconhecido pelo seu equilíbrio fiscal. Não com o fim, mas como meio, que permite fazer as realizações que a população tanto precisa e tanto almeja”.

Ampliar a malha viária em extensão e capacidade é fundamental para desenvolvimento socioeconômico do estado, pois viabiliza o escoamento da produção, incentiva o segmento turístico, e melhora o acesso a serviços de educação e saúde.

“Hoje, são cerca de 1.600 obras, entre rodovias e edificações, com quase R$ 2,2 bilhões de investimentos no Ceará. Isso envolve não só os valores a serem aplicados, mas também estimula a geração de emprego, arrecadação de impostos e fomenta a economia do estado do Ceará, incentivando a movimentação de recursos nos municípios”, afirma Quintino Vieira, superintendente de Obras Públicas.

O novo pacote do Ceará de Ponta a Ponta representa impacto direto a 62 municípios, mas beneficia todo o estado na medida em que proporciona integração e estrutura adequada, melhorando as condições do ir e vir em todo o território.



Extensão

Com mais de 8.600 km de CEs asfaltadas atualmente, o incremento anunciado fará a malha viária estadual pavimentada ultrapassar os 9.300 km. Além da expansão de rotas por CEs, o trabalho da Superintendência de Obras Públicas (SOP) inclui manutenção e melhorias constantes na malha viária. E isso tem resultado em avaliações progressivamente melhores.

“O Ceará de Ponta a Ponta veio pra fortalecer esse compromisso que temos na implantação, conservação e melhoria das nossas estradas, contribuindo para o melhor deslocamento das pessoas e garantindo o desenvolvimento do turismo, o escoamento de produção e uma série de ações que dependem de boas rodovias”, resumiu a vice-governadora Izolda Cela.

Os dados da edição 2021 do Levantamento Visual Contínuo (LVC), monitoramento de defeitos de superfície de pavimento executado anualmente pela Superintendência de Obras Públicas do Ceará (SOP), apontam que 79,70% (6.863,52 km) da malha viária estadual está em boas condições. A análise, realizada no segundo semestre de cada ano, leva em conta o crescimento contínuo da malha viária estadual e aponta, na comparação com 2019, incremento de 1.100 km para o conceito “bom”. Esse resultado significa incremento de 8,79 pontos percentuais na qualidade “boa” na comparação com 2019. Por outro lado, o conceito “péssimo” registrou 0,30% da extensão das CEs (25,84 km). Na mesma tabela, o conceito “ruim” caiu para 5,06% e o “regular”, para 14,94%.

“Andando por nossas estradas vemos o diferencial das rodovias estaduais. É um orgulho que temos, fazer com que as pessoas tenham prazer de voltar à sua cidade e que não tenham dificuldade para se deslocar quando forem ver seus familiares, ver os seus amigos, conviver com a sociedade”, ressaltou o secretário das Cidades, Marcos Cals.

A meta é ampliar a capilaridade rodoviária do Ceará e melhorar ainda mais a conservação das CEs, favorecendo um desenvolvimento sustentável para as comunidades e eliminando as condições das chamadas “cidades fim de linha”, aquelas em que só há uma via de acesso.

Postar um comentário

0 Comentários