Polícia investiga denúncia de assédio sexual de professor de karatê contra aluna, em Fortaleza




 A Polícia Civil do Ceará (PC-CE) instaurou inquérito para investigar uma denúncia de assédio sexual por parte de um professor de karatê, do Centro de Treinamento Dinamic, no bairro Planalto Ayrton Senna, em Fortaleza. O suspeito foi procurado pela reportagem e informou que ainda não irá se pronunciar sobre o caso. 

Uma aluna, hoje com 20 anos, denunciou assédios sofridos desde os 17 anos. Após depoimento da vítima, nas redes sociais, outras jovens relataram também terem sido tocadas sem o consentimento, incluindo menores de idade na época do suposto crime. 

O Centro de Treinamento Dinamic é vinculado à Federação de Triathon do Ceará (Fetriece) por meio de projeto social de acesso ao esporte para atender jovens de oito a 29 anos, que está ligado à Secretaria de Esporte e Lazer do Município de Fortaleza. 

Em entrevista ao Diário do Nordeste, a Fetriece disse ter rescindido, no último 12, o contrato de prestação de serviço com o professor denunciado. A advogada da Federação, Edna Santos, detalha que "há uma cláusula que permitir a rescisão unilateral do contrato em alguns casos específicos, como este".

Ainda conforme Edna, esta foi a primeira denúncia realizada ao longo dos dez meses de existência do Centro de Treinamento, que conta com 1.684 alunos assistidos em 8 modalidades esportivas. A advogada ressaltou ainda que  a Fetriece se colocou "à disposição da suposta vítima, da Polícia, e da Secretaria de Esportes para ajudar na investigação dos fatos".

Disse também que a Fetriece "não compactua com qualquer tipo de violência, seja contra os alunos ou com qualquer agente envolvido no Projeto".

Já a Secretaria de Esporte afirmou que ao tomar conhecimento do fato, "mesmo informalmente", entrou em contato com a Fetriece "cobrando maiores informações em torno do evento". 

"Notificaremos a Federação formalmente cobrando apuração do ocorrido e nos colocamos inteiramente à disposição da vítima, para o que for necessário. A Secretaria e o Município não compactuam com quaisquer atitudes aviltantes ou desrespeitosas para com seus atletas ou cidadãos, motivo pelo qual acompanharemos de perto toda a apuração fática, buscando uma resolução rápida, eficaz e justa", diz a Pasta.

Conforme Edna Santos, a notificação formal ainda não aconteceu. "Recebemos uma notificação informal, por telefone, e prontamente nos antecipamos em fornecer informações, rescindir o contrato e ajudar nas investigações", disse. A notificação formal deverá acontecer hoje, segundo prevê a advogada.

O coordenador geral do projeto, Sérgio Ricardo, ressaltou, ainda, que as denúncias são anteriores à existência do Centro de Treinamento Dinamic. "Pelo que a vítima denunciou, o caso aconteceu há dois, três anos, quando do projeto 'Atleta Cidadão', que englobava todas as modalidades até, neste ano, ser desmembrado, e então surgiu o Centro de Treinamento".

Sérgio Ricardo e Edna Santos detalham que a Fetriece e o Centro de Treinamento realizam, por meio de assistentes sociais, fiscais e supervisores, "visitas e inspeções periódicas para acompanhar a conduta dos professores".

Em Boletim de Ocorrência (B.O), no último mês de abril, a vítima relatou que o professor "usava o treino para tocar nas suas partes íntimas". Os assédios teriam começado há três anos, quando ela ainda era menor de idade.

Aos 18 anos, ele teria a levado à força para um motel para tentar forçar o ato sexual. No local, o instrutor de karatê teria mostrado vídeos praticando relações sexuais com outras mulheres. Após resistências da vítima, o professor a levou para casa.

Nos relatos divulgados, a jovem destaca que, além das inúmeras ocorrências contra ela, também presenciou o professor assediando outras alunas.

A jovem conta que as práticas também ocorriam através de condutas verbais, como referências à sexualidade e convites insistentes. 

A atleta permaneceu no Centro de Treinamento Dinamic até o fim do ano, mas desistiu dos treinos e da Bolsa Atleta devido aos supostos assédios. Em abril, contou com o apoio da família para denunciar o suspeito

A Polícia Civil do Estado do Ceará (PC-CE) apura uma denúncia de crime sexual, no bairro Planalto Ayrton Senna - Área Integrada de Segurança 9 (AIS 9) da Capital. Um Boletim de Ocorrência (BO) foi registrado no último mês de abril e a Polícia Civil segue realizando diligências com o objetivo de elucidar o caso. Outras informações serão divulgadas em momento oportuno para não comprometer os trabalhos policiais.

Denúncias

A população pode contribuir com as investigações repassando informações que auxiliem os trabalhos policiais. As denúncias podem ser feitas para o número 181, o Disque-Denúncia da Secretaria da Segurança Pública e Defesa Social (SSPDS), ou para o (85) 3101-0181, que é o número de WhatsApp, por onde podem ser feitas denúncias via mensagem, áudio, vídeo e fotografia. O sigilo e o anonimato são garantidos.

Confira nota da Secretaria de Esporte e Lazer na íntegra:

Projeto Atleta Cidadão

Com o objetivo de democratizar o acesso à prática esportiva, o Projeto Atleta Cidadão promove o desenvolvimento integral de crianças, jovens e adolescentes, prioritariamente nas áreas de vulnerabilidade social. Em 2019, 8.520 pessoas foram beneficiadas com o projeto, em 2021 esse número alcançou o total de 10.600 crianças, jovens e adolescentes atendidos.

O Projeto teve início em junho de 2014 e vem sendo ampliado ao longo dos anos, funciona nos núcleos esportivos instalados em Areninhas, praças, equipamentos de esporte e lazer e associações da capital. 

Em 2021, passou por uma readequação conseguindo reduzir os custos em 34%, elevar para 27% o número dos profissionais contratados e ampliar em 20% o atendimento aos beneficiários.

O Projeto Atleta Cidadão foi ampliado para 150 núcleos e 8 modalidades: futebol, futsal, voleibol, basquete, duathlon, beach soccer, atletismo e natação, contemplando 9.000 crianças e jovens mais carentes de Fortaleza.  Ressalta-se que as atividades do programa são realizadas sob orientação de profissionais de educação física e pedagogia.-

Assim que tomamos conhecimento do fato, mesmo informalmente, entramos em contato com a FETRIECE cobrando maiores informações em torno do evento. 

Notificaremos a Federação formalmente cobrando apuração do ocorrido e nos colocamos inteiramente à disposição da vítima, para o que for necessário. 

A Secretaria e o Município não compactuam com quaisquer atitudes aviltantes ou desrespeitosas para com seus atletas ou cidadãos, motivo pelo qual acompanharemos de perto toda a apuração fática, buscando uma resolução rápida, eficaz e justa.

Diário do Nordeste

Postar um comentário

0 Comentários