Aumento no preço do diesel: frete terá reajuste de 5%, estima entidade de transporte



 


Os efeitos do reajuste do preço do diesel, que desde o último sábado está mais caro em 14,25%, tem efeitos diretos na vida de quem abastece o carro e, de forma indireta, no orçamento doméstico de todos os brasileiros. Uma das consequências é que, com mais um aumento no preço do combustível que move as estradas, o custo do frete de cargas fica mais amargo.


A Associação Nacional do Transporte de Cargas e Logística (NTC&Logística) anunciou que o preço do frete será reajustado em pelo menos 5%. Segundo a entidade, a correção dos valores é necessária após o aumento de 14,26% no preço do diesel vendido pela Petrobras.
A entidade, por meio de nota, orienta às empresas que seja repassado de forma imediata o acumulado dos aumentos de combustível e que as transportadoras negociem contratos antigos e incluam, nos novos acordos, “um gatilho” para os aumentos do diesel.

“O aumento acarretará a necessidade de reajuste adicional de no mínimo 5,0%, fator esse que deve ser aplicado emergencialmente nos fretes. No acumulado do ano tivemos uma expressiva variação média de 28,93% na bomba e nos últimos 12 meses (jun-21 contra jul-22) nada menos que uma magnitude média de 52,69%”, disse a entidade por meio de nota.


A associação relata, ainda, que os insumos do transporte rodoviário de cargas vem sofrendo grande pressão por reajuste nos preços já realizados pelos fornecedores das empresas de transporte nos últimos 12 meses, além do reajuste salarial da categoria. “O cavalo mecânico, por exemplo, teve seus preços reajustados em média 31,02%, semirreboque 32,55%, pneus 14,81%. O acordo sindical da convenção coletiva dos trabalhadores do Transporte vêm fechando os acordos entre 10,0% a 12,47%”, destaca a nota da entidade.

Ceará Agora

Postar um comentário

0 Comentários