Chineses alegam ter encontrado sinais de civilizações alienígenas




 radiotelescópio chinês FAST ("Five-hundred-meter Aperture Spherical Telescope") detectou uma série de sinais levemente diferentes das emissões eletromagnéticas de banda estreita já identificadas anteriormente. Os especialistas do país levantam a possibilidade de que as emissões tenham vindo de civilizações extraterrestres, mas vale destacar que ainda não há evidências irrefutáveis de uma origem alienígena e nem detalhes sobre a origem dos sinais.

Em 2018, o telescópio recebeu um equipamento dedicado à busca de civilizações extraterrestres, capaz de filtrar possíveis sinais eletromagnéticos de banda estreita em meio às demais detecções do FAST. Já em 2020, a equipe do observatório encontrou dois conjuntos de sinais “candidatos” a civilizações extraterrestres; em 2022, outro sinal "suspeito" apareceu em meio a observações de exoplanetas.

Peng Bo, diretor do Laboratório Central FAST da Academia Chinesa de Ciências e pesquisador do observatório astronômico do país, disse publicamente que os sinais recebidos pelo telescópio provavelmente são sinais de civilizações alienígenas, "mas não tivemos tempo de identificá-los".

Já Zhang Tongjie, cientista-chefe da busca de seres extraterrestres na Universidade de Pequim, conta que, após a identificação dos sinais eletromagnéticos diferentes dos anteriores, a equipe irá analisá-los mais profundamente. "A possibilidade de que o sinal suspeito seja algum tipo de interferência de rádio também é muito alta e está sujeita a investigação, o que poderia ser um longo processo", ressaltou Zhang.

Considerado o maior e mais sensível radiotelescópio do mundo, o FAST é um dos observatórios favoritos quando o assunto é a busca por civilizações extraterrestres, um de seus principais objetivos científicos. Zhang ressalta que a alta sensibilidade do telescópio para a observação de bandas de rádio de baixa frequência é importante para a procura de civilizações alienígenas, caso existam.

Fonte: Xidian

Postar um comentário

0 Comentários