Ecomapss é inaugurado no Parque Nacional de Jericoacoara



 


Visitantes de Jericoacoara já podem ter acesso ao Ecomapss, aplicativo de mapeamento ambiental e georreferenciamento criado por professores e estudantes do campus de Crato do Instituto Federal do Ceará e implantado em Jeri por meio de uma parceria entre o Parque Nacional de Jericoacoara, o ICMBio e os campi de Crato e Camocim do IFCE. O projeto foi oficialmente lançado nesta quinta-feira (9), em dois momentos: pela manhã, com profissionais de turismo da vila, e à noite, na Câmara Municipal de Jijoca de Jericoacoara.

Na palma da mão, turistas agora têm fácil acesso a informações sobre as principais trilhas do parque, como a da Pedra Furada, e também de alguns locais cujo acesso é feito de carro, como a Barra do Guriú. Dentro das trilhas e vias de acesso, foram mapeados mais de 40 pontos de interesse, como cavernas, formações rochosas, lagoas, histórias, contos e saberes da região - tudo o que faz de Jericoacoara um dos mais procurados destinos turísticos do Brasil.

"É muito bem-vinda essa ferramenta que pode nos ajudar, que vai trazer acessibilidade ao turista, para que ele conheça melhor nosso Parque Nacional", destaca o secretário de turismo de Jijoca de Jericoacoara, Milton Argemiro da Silveira Júnior.

A professora Brisa Cabral, uma das coordenadoras do projeto, explica que a linguagem do Ecomapss permite que o visitante, além de fazer turismo, perceba que está inserido em um contexto de preservação ambiental: "O Ecomapss pode contribuir para um turismo de olhar mais cuidadoso com a praia, com a orla, com os monumentos naturais, com as pessoas nativas. O app os ajuda a perceber que os recursos naturais podem e devem ser preservados, se o turismo for mais voltado para um olhar de convivência harmônica".

A chefe do Parque Nacional de Jericoacoara e analista do ICMBio, Kelly Cottens, também destaca a importância do projeto para o turismo local: "A gente recebe com muita alegria essa oportunidade de poder nos comunicar com os visitantes que vêm ao Parque Nacional de Jericoacoara, dando a eles um pouco mais de informação e acolhimento, esperando que eles tirem mais proveito e tenham uma experiência muito mais rica".

Para a professora Brisa, o aplicativo trará contribuições não apenas para os turistas, mas também para os moradores da vila, com informações sobre a riqueza cultural que faz parte do Parque: "Para as pessoas que ficam mais tempo na vila, será uma ferramenta de educação ambiental, cultural e patrimonial", conta ela.

Segundo o professor João Alberto Abreu, que também é um dos coordenadores do projeto, o aplicativo utiliza a geolocalização do usuário: "Como não poderíamos colocar as placas que são características do projeto em outros locais, tivemos que buscar uma forma diferente de fazer esse mapeamento e disponibilizar as informações. Dessa forma, as trilhas foram mapeadas e, enquanto o usuário vai caminhando, os pontos vão aparecendo no celular para que ele possa conferir as informações".

Além do Parque Nacional de Jericoacoara, o Ecomapss já está disponível em onze pontos turísticos do Ceará e também na Pedra do Claranã, em Bodocó (PE). No Ceará, contam com o projeto os visitantes do Parque do Cocó, da ARIE do Sítio Curió e da Praça Luiza Távora, em Fortaleza; do Parque Estadual Sítio Fundão, no Crato; da ARIE das Águas Emendadas, em Tauá; do Parque Botânico, em Caucaia; do Parque das Timbaúbas, em Juazeiro do Norte; e do Geopark Araripe (nos geossítios Pontal de Santa Cruz e Pedra Cariri, em Santana do Cariri, e Ponte de Pedra, em Nova Olinda).

O Ecomapss é coordenado pelos professores Brisa Cabral, Gauberto Barros e João Alberto Abreu e contou com a colaboração de um grupo de estudantes da graduação em Sistemas de Informação ao longo do projeto.

Com a contribuição de Dowglas Lima (Reitoria), Alissa Carvalho - campus Crato

Postar um comentário

0 Comentários