Uso de máscaras em ambientes fechados volta a ser recomendado no Ceará



 


O uso de máscaras volta a ser recomendado em ambientes fechados — especialmente, escolares — e em ambientes abertos — que tiverem aglomeração de pessoas — no Ceará. A decisão foi anunciada pela governadora Izolda Cela nesta sexta-feira (10), após reunião do Comitê Estadual de Enfrentamento à Covid-19, e passa a valer na próxima segunda-feira (13), quando entra em vigência o novo decreto.

A medida não é obrigatória, apenas é recomendada devido à alta na positividade dos casos de Covid-19 no Estado. O uso de máscaras foi flexibilizado em todos os ambientes no Estado desde 15 de abril.

"Por um princípio de prudência, para que possamos evitar qualquer tipo de situação que não desejamos, de agravamento da pandemia", justificou a governadora Izolda Cela em transmissão ao vivo nas redes sociais

De acordo com Izolda, o Ceará mantém a obrigatoriedade do uso de máscara em transportes públicos e unidades de assistência à saúde, como hospitais, clínicas, postos e Unidades de Pronto Atendimento (UPAs).

Além disso, o Governo mantém e amplia a recomendação de máscara para pessoas idosas, com comorbidades, com sintomas gripais e gestantes.

AUMENTO DE CASOS NO CEARÁ

O secretário estadual da Saúde, Marcos Gadelha, informou que as taxas de positividade da Covid-19 no Ceará estão crescendo semanalmente. A taxa do último dia 22 de maio, segundo ele, era de 3,8%. Uma semana depois, no dia 29, subiu para 4,4%. No último domingo, esse dado já mudou para 10,7%.

No entanto, o gestor tranquiliza que o aumento de casos não significa piora na gravidade da pandemia. "Isso não tem se refletido em aumento de casos graves, nem de internações e nem de óbitos", garantiu.

CASOS DE COVID-19

A decisão do Governo do Ceará foi tomada após a observação de uma leve alta de casos de Covid-19 no Brasil e em outros países.

No Estado, o crescimento acontece de forma sensível. Para se ter uma noção, em março, a proporção de exames positivos era de 5,4%. Em abril, essa taxa passou para 5,6% e, em maio, chegou a 8,4%, o que significa que, atualmente, em cada 100 pessoas testadas, oito estão com Covid-19.

Contudo, os dados podem ainda não refletir a realidade, visto que há baixa demanda por testagem.


Diário do Nordeste

Postar um comentário

0 Comentários