5G obrigará milhões de brasileiros a trocar suas parabólicas



 


O 5G chegou oficialmente ao Brasil no começo da semana passada, com o sinal disponível atualmente no Distrito Federal. A conexão é 20 vezes mais rápida que o 4G, e deve impulsionar o uso de smartphones em território nacional.  Entretanto, o 5G pode prejudicar cerca de 10 milhões de famílias brasileiras que assistem TV aberta através de parabólicas. 

Resumindo, o problema é que as parabólicas no Brasil transmitem seus dados por banda C, que atua na frequência entre 3,7 GHz a 6,45 GHz. O 5G opera na frequência 3,5 GHz. A proximidade dessas frequências causa interferências na imagem e som dos televisores, apesar do 5G para celulares não ser afetado.

A banda C atual das parabólicas vai deixar de existir em 18 meses, com a transferência de dados dessas antenas passando para a banda Ku. Isso significa que quem depende de parabólica para assistir televisão terá que trocar seus aparelhos por novos dispositivos que operem na banda Ku.

Segundo a EAF; Empresa Administradora da Faixa, formada por Claro, Tim e Vivo; 20 milhões de domicílios que assistem TV aberta no Brasil por parabólica terão que trocar seus receptores de sinal. 

Para famílias cadastradas no CadÚnico, um cadastro de pessoas de baixa renda do governo federal, é a EAF que cobre a troca de aparelhos. Mas 10 milhões de famílias terão que bancar a substituição sozinhas, como determinado pelo edital do 5G.

Por outro lado, a Anatel trabalha com outra estimativa baseada na pesquisa do IBGE de 2019, que indica que o número de famílias afetadas pode ser menor. Segundo a agência, 18 milhões de domicílios brasileiros poderão enfrentar o problema. 


Mas “esses dados devem ser entendidos como estimativas, porém podem não representar a realidade atual, considerando que temos uma expectativa de declínio no número de  uso de parabólicas com o tempo”, prevê a Anatel.

Para quem usa parabólica e está registrado no CadÚnico, a dica é procurar o serviço Siga Antenado. O serviço foi criado pela EAF para distribuir os kits às famílias de baixa renda, e pode ser acessado pelo site ou pelo telefone 0800 729 2404 para agendamento da troca.

Já quem precisar fazer a mudança com o próprio dinheiro, o preço inicial do “kit banda Ku” (que inclui antena, receptor e fiação) é de R$ 400 em sites especializados. Mas vale apontar que a interferência do 5G varia com a posição da parabólica e a distância de estação de 5G para a antena.


Olhar Digital

Postar um comentário

0 Comentários