Justiça: Bela Cruz, Marco e Itarema terão novos Promotores em agosto



 


O Ministério Público do Estado do Ceará (MPCE) vivencia um importante momento de renovação neste ano. No próximo mês de agosto tomarão posse mais de 30 novos Promotores de Justiça. São profissionais devidamente aprovados em um concurso público altamente concorrido: no total, foram 7.782 inscritos, três anos de duração e extenso programa jurídico a ser estudado. Após diversas fases realizadas, poucos foram aprovados e atingiram o objetivo de passar a integrar o MP e contribuir, com seu trabalho e dedicação, no atendimento às demandas da população.

Essa nomeação se torna ainda mais relevante porque vai abranger diversos municípios e regiões do Ceará, intensificando a proximidade do Ministério Público com a população do interior. A nomeação dos promotores será para diversas comarcas de entrância inicial, tais como: Aiuaba, Alto Santo, Assaré, Barro, Bela Cruz, Campos Sales, Cariré, Chaval, Coreaú, Farias Brito, Ibiapina, Ipueiras, Iracema, Itarema, Jaguaretama, Jaguaribe, Jardim, Jijoca de Jericoacoara, Marco, Mauriti, Milagres, Missão Velha, Monsenhor Tabosa, Pedra Branca, Reriutaba, Santana do Acaraú, Tabuleiro do Norte, Tamboril, entre outras.

A chamada dos novos promotores vai preencher relevante lacuna, pois são 44 vagas previstas no edital para Promotor de Justiça na entrância inicial. Com isso, o objetivo do Ministério Público é aprimorar o atendimento em todas as áreas, beneficiando as pessoas que mais precisam. Incontáveis vezes, recorrer ao Ministério Público é a última saída para certas demandas da população, especialmente nas cidades mais afastadas geograficamente da Região Metropolitana de Fortaleza, menos providas de serviços e atenção do poder público.

Além disso, os promotores de justiça ingressam num momento crucial para a nação, tendo em vista que se aproxima o pleito eleitoral. Por isso, é indispensável uma atuação serena, responsável, justa, equilibrada, e acima de tudo, imparcial, para que a democracia seja exercida da forma mais autêntica, seguindo os ditames da Constituição e das Leis.

Dentro de sua área de atuação, os novos integrantes do MP poderão contribuir para a importante missão do promotor de Justiça, qual seja, proteger a ordem jurídica, o regime democrático e os interesses sociais e individuais indisponíveis. Agindo assim, cumprirão o honrado papel determinado pela Carta Magna, que é fazer com que a aplicação da lei valha para todos e fazer justiça para aqueles que de fato necessitam.

Herbet Gonçalves Santos é presidente da Associação Cearense do Ministério Público (ACMP)


Diário do Nordeste

Postar um comentário

0 Comentários