Petista assassinado teve encontro com Bolsonaro em Brasília em 2017



 

Em entrevista à Folha de S. Paulo, amigos exemplificam ocasião para mostrar caráter mediador de Marcelo




O guarda municipal Marcelo Arruda, assassinado por um apoiador do presidente Jair Bolsonaro em Foz do Iguaçu (PR), já havia tido encontro com o político em 2017, quando ele ainda era deputado federal.

Segundo amigos próximos, Marcelo, que era presidente do PT de Foz do Iguaçu na época, participou do encontro para tratar de uma questão sindical. O pedido ocorreu devido a pleitos de guardas municipais sobre a categoria a Bolsonaro como deputado.

Marcelo foi morto após o policial penal Jorge Guaranho invadir a festa de aniversário de 50 anos dele. Na ocasião, Jorge teria feito uma série de ataques ao PT e chegou a citar o nome de Bolsonaro durante a invasão.

CONVERSA AMISTOSA

Sobre o encontro com Bolsonaro, Tony Cleverson Correa, então presidente da Associação dos Guardas Municipais de Foz do Iguaçu, explicou que a conversa liderada por Marcelo foi amistosa.

"A gente foi para Brasília por causa da reforma da Previdência, era uma mobilização dos guardas municipais. A gente foi para Brasília para que incluíssem os guardas municipais no texto da reforma, colocando a gente no caso da aposentadoria policial", contou o colega de Marcelo.

Após o momento, o agora presidente da República teria até mesmo votado em favor da categoria, mas o pleito não foi atendido pelos demais parlamentares.

"Ele [Bolsonaro] vinha numa crescente, já tinha detonado a questão do Partido dos Trabalhadores, mas o Marcelo foi tranquilo. Ele sempre foi do diálogo", completou Tony em entrevista ao jornal Folha de S. Paulo. 

Esse episódio em específico é citado pelos colegas de Marcelo para exemplificar como ele era uma pessoa tolerante, que gostava de dialogar. Na festa de aniversário, onde acabou vítima, uma das brincadeiras era fotografar amigos bolsonaristas de Marcelo próximo de símbolos do PT.

MORTE EM FESTA DE ANIVERSÁRIO

Marcelo Arruda morreu na madrugada do domingo (10) após ser baleado por Guaranho na própria festa de aniversário, em Foz do Iguaçu, no oeste do Paraná. O guarda municipal chegou a ser encaminhado ao Hospital Municipal, mas não resistiu aos ferimentos. 

Ao ser atingido por Guaranho, Arruda, que estava armado, revidou e atingiu o policial. Ele está internado em estado grave, sedado e intubado no Hospital Municipal de Foz do Iguaçu (PR). 


Diario do Nordeste

Postar um comentário

0 Comentários