Putin convoca 300 mil reservistas e faz ameaça nuclear: 'não é um blefe'





Nesta quarta-feira (21), o presidente da Rússia, Vladimir Putin, decretou a primeira mobilização do país desde a Segunda Guerra Mundial. Para o chefe de Estado, o Ocidente quer “destruir e dividir” a nação russa.
Putin acusa Ocidente: “destruir e dividir” a nação russa

“O objetivo do Ocidente é enfraquecer, dividir e destruir nosso país. Eles dizem que em 1991 foram capazes de dividir a URSS, e agora chegou a hora da própria Federação Russa, que deveria se dividir em muitas regiões em guerra”, disse. A intenção do governo russo é convocar 300 mil cidadãos para a guerra contra a Ucrânia.

Conforme o líder russo, só serão convocados para o serviço militar os cidadãos que se encontrem na reserva. “O regime de repressão em toda a Ucrânia foi fortalecido da maneira mais severa. A política de intimidação, terror e violência assume formas bárbaras cada vez mais terríveis”, pontuou.

Putin afirmou ainda que as instruções sobre a mobilização já foram dadas ao Ministério da Defesa. A previsão é de que a movimentação comece já nesta quarta.
Vladimir Putin “é o principal criminoso de guerra do século XXI”, diz procuradora ucraniana

Em março deste ano, a procuradora-geral da Ucrânia, Iryna Venediktova, afirmou que o presidente da Rússia, Vladimir Putin, é o “principal criminoso de guerra do século 21” e que ele será processado por Kiev pelo conflito no país.

“Putin deve ser absolutamente processado porque é o principal criminoso de guerra do século 21. Lembrem-se da Chechênia, da Geórgia e agora da Ucrânia. É ele o responsável, como comandante em chefe, dos crimes de guerra cometidos em todas essas áreas”, disse aos jornalistas em frente à Casa de Cultura de Irpin, totalmente destruída por um bombardeio.




GC Mais

Postar um comentário

0 Comentários