2º turno: ciristas bolsonaram e tucanos lularam



 Ciro criticou Lula de diversas formas e chegou a adotar a estética "flashwave" (típica da direita bolsonarista). Resultado: ainda no 1º turno, o pedetista perdeu grande parte do seu eleitorado ideológico à esquerda. O que restou tende a apoiar Bolsonaro



Na pesquisa Atlas, um dos resultados mais interessantes é a transferência de votos da 3ª via. São números decisivos. Pouco mais de 12% dos eleitores do 1º turno não votaram em Lula ou Bolsonaro e apenas 4% votaram branco ou nulo. Vencer a maioria dos votos da 3ª via é crucial para vencer a eleição.

Lula leva vantagem nesse grupo. Cerca de 54% dos eleitores de Tebet declaram voto em Lula no 2º turno, percentual similar ao dos eleitores ciristas que pretendem votar em Bolsonaro. A diferença é que 29% dos eleitores de Tebet pretendem votar em Bolsonaro, enquanto 40% da base de Ciro prefere Lula.

É perigoso tirar conclusões com base em sub-amostras de pesquisas eleitorais, mas estes números aparecem nas pesquisas de diversos institutos.

Veja os dados
No gráfico abaixo, você pode ver os dados. A coluna da esquerda representa o voto em 1º turno. Na da direita, estão as intenções de voto no 2º turno – neste caso, o tamanho das barras não é proporcional à intenção de voto dos candidatos, pois o objetivo do gráfico é apenas ilustrar a transferência de votos. Passando o mouse no gráfico, é possível destacar os números de interesse e refletir sobre os caminhos que a eleição pode tomar.

A história andou
É um resultado interessante. Apesar de integrar o MDB, Tebet se diz herdeira dos grupos que lideraram os governos Temer e FHC, além de criticar a ala do emedebismo que integrou os governos do PT. Ou seja, ela representa a tradição tucana, rival histórica do petismo.

Ainda mais intrigante é a transferência de votos de Ciro para Bolsonaro. O candidato do PDT costuma se colocar como representante do trabalhismo de Vargas, Jango e Brizola, tradição que está à esquerda do PT no debate econômico.

A estratégia de Ciro levou a esse cenário
Nas semanas finais do 1º turno, Ciro chegou a criticar por Lula por ser o representante neoliberal da disputa. Na verdade, Ciro criticou Lula de diversas formas e chegou a adotar a estética “flashwave” (típica da direita bolsonarista) em materiais de campanha.

Resultado: ainda no 1º turno, o pedetista perdeu grande parte do seu eleitorado ideológico à esquerda. Por isso, o eleitorado que restou tende a apoiar Bolsonaro, apesar do próprio Ciro declarar apoio a Lula. Assim, os ciristas bolsonaram e os tucanos tendem a Lula.


Focus Jor

Postar um comentário

0 Comentários