Ministro prevê que projeto de mina de Santa Quitéria seja destravado em 2 meses



 


O ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida, afirmou que o Governo Federal tem trabalhado para destravar o projeto da mina de fosfato e urânio de Itataia, localizada em Santa Quitéria. A informação foi divulgada durante o Seminário Energia Brasil, realizado na última sexta-feira, 21, pelo Lide Ceará.

“A empresa privada que estava em Santa Quitéria encontrou urânio. Quando se trata disso, urânio é um monopólio estatal. E a mineração ficou travada. Soltamos uma medida provisória facilitando uma parceria público-privada. As Indústrias Nucleares do Brasil (INB), que é uma estatal de energia, irá explorar o urânio e a companhia privada vai explorar normalmente o fosfato. Acredito que em um ou dois meses conseguiremos avançar nisso”, destacou.

A companhia privada em questão é a Galvani Fertilizantes, que faz parte com a IBC do Consórcio Santa Quitéria.  “É um projeto importante, capaz de gerar emprego e renda para o Estado”, completou Sachsida.

O ministro criticou o fato de o projeto estar parado. “É inacreditável não conseguir minerar. Esse projeto significa mais emprego para o Ceará”, disse.

Atualmente, a usina de fosfato e urânio de Itataia se encontra em fase obtenção de licenciamento ambiental. Audiências publicas foram realizadas no ano para tratar do projeto.

Consórcio Santa Quitéria

O Consórcio Santa Quitéria é formado pelas empresas Galvani Fertilizantes e Indústrias Nucleares do Brasil – INB com o objetivo de implantar um projeto conjunto de mineração em Santa Quitéria (CE), onde o fosfato, bem mineral preponderante na Jazida de Itataia, está associado ao urânio. O empreendimento irá produzir fertilizantes de alto teor destinados à agricultura, fosfato bicálcico, utilizado como suplemento para ração animal, e concentrado de urânio para geração de energia elétrica.

A empresa pública INB é detentora dos direitos minerários da jazida, descoberta na década de 1970 e localizada nos domínios da Fazenda Itataia. Após a realização de estudos que confirmaram os recursos minerais contidos no local, a INB buscou, na iniciativa privada, empresas da área de fertilizantes para formar parceria. Em 2009, foi assinado o Contrato de Consórcio com a Galvani.

Hidrogênio verde

Sobre o hidrogênio verde, o ministro afirmou que está se buscando melhorar os marcos legais para atrair mais investimentos para o País. “O Nordeste é a região de excelência do hidrogênio de baixo carbono, das eólicas offshore”, declarou.

Segundo Sachsida, o Ceará é fundamental na geração de energia limpa. “O Ceará é fundamental, tanto em mineração, quanto em energia. As eólicas offshore tem um estado por excelência. Apostamos nesse segmento e no hidrogênio verde para dinamizar a energia barata e a industrialização do Brasil.


focus jor

Postar um comentário

0 Comentários