Lula escolhe Geraldo Alckmin como coordenador da equipe de transição




 

O presidente eleito Lula (PT) escolheu o seu vice-presidente, Geraldo Alckmin (PSB), para coordenar a equipe de transição. Ele será responsável por comandar uma equipe com 50 nomes, que integram quadros técnicos e políticos para dialogar com integrantes do governo de Jair Bolsonaro (PL), derrotado na busca pela reeleição.

Lula escolhe Alckmin para coordenar equipe de transição

A presidente do PT, Gleisi Hoffmann, e o coordenador do programa de governo, Aloizio Mercadante, também vão integrar o grupo. “Mas há outras pessoas que vão estar na coordenação e também vamos designar pessoas por áreas”, disse Hoffmann, em coletiva nesta terça-feira (1º). “Teremos a participação de todos os partidos que tiveram conosco nessa caminhada”, completou.

Hoffmann afirmou já ter conversado por telefone com Ciro Nogueira, ministro da Casa Civil do governo de Bolsonaro, e que uma reunião será marcada presencialmente para alinhar as equipes.

O período de transição, regulamentado pela lei 10.609/2002 e pelo decreto 7.221/2010, tem o objetivo de oferecer condições para que o candidato eleito possa receber de seu antecessor todos os dados e informações necessários à implementação do programa do novo governo.

Os membros da equipe de transição serão indicados pelo petista e devem ter acesso às diversas informações relacionadas às contas públicas, aos programas e projetos, entre outros dados. O grupo é formado por 50 pessoas, que assumem os cargos especiais de transição governamental (CETG).

A equipe de transição é supervisionada por um coordenador, que ganha o status de ministro extraordinário e a quem competirá requisitar as informações dos órgãos e entidades da administração pública federal.

Os membros da equipe de transição não necessariamente serão os próximos ministros das pastas do Executivo, destacou Hoffmann. “Não há decisão sobre ministério. O presidente Lula não abriu essa discussão”, disse.

Ainda conforme a presidente do PT, a equipe pretende iniciar as tratativas  na quinta-feira (3).”Nossa proposta é ir para Brasília, já ter uma reunião presencial com quem for a parte do governo que vai fazer essa transição para que a gente já possa colocar em operação a equipe de transição”, declarou.


GC Mais

Postar um comentário

0 Comentários