MST enviará milhares de militantes para desbloquear estradas



 

Iniciativa foi aprovada diante da 'complacência' da Polícia Rodoviária Federal com manifestantes bolsonaristas




O Movimento dos Trabalhadores Sem Teto (MTST) vai enviar milhares de militantes às estradas bloqueadas por bolsonaristas para retirar as barricadas que impedem a passagem dos carros.

O movimento, que tem entre seus coordenadores o deputado federal eleito Guilherme Boulos (PSOL-SP), diz que decidiu tomar uma atitude depois de ver que os bloqueios estão acontecendo "com a complacência" da Polícia Rodoviária Federal (PRF), sob o comando do governo de Jair Bolsonaro (PL).

"Esperamos ser tão bem recebidos pelas forças de segurança quanto os bolsonaristas estão sendo", diz o MTST.

A coluna apurou que os militantes estão sendo orientados a não entrar em confrontos com bolsonaristas, mas sim retirar os materiais que eles colocaram nas vias para impedir o trânsito de veículos.


Em nota aprovada nesta terça (1º), o movimento afirma que "desde domingo, observamos no país travamentos que contestam o resultado eleitoral e pedem intervenção militar. Tais protestos acontecem com a complacência de forças de segurança, como a PRF".

E segue: "Diante desse fato, a coordenação nacional do MTST orienta sua militância nos estados a organizar manifestações para desbloquear as principais vias de acesso, exigindo o respeito ao resultado eleitoral. Esperamos ser tão bem recebidos pelas forças de segurança quanto os bolsonaristas estão sendo."

Os bolsonaristas bloquearam mais de 200 pontos em estradas e impediram inclusive o acesso ao aeroporto de Guarulhos, em São Paulo, o maior do país. Voos já foram cancelados.


A PRF se manteve inerte, e policiais inclusive confraternizaram com os bolsonaristas.

O Supremo Tribunal Federal (STF) já deu ordem para que a PRF desbloqueie as estradas, e o ministro Alexandre de Moraes já autorizou inclusive a PM a atuar.

Magistrados do STF responsabilizam Bolsonaro pelas arruaças. Em silêncio desde que foi derrotado por Lula (PT) na campanha presidencial, o presidente estaria, com sua atitude, estimulando a confusão.

A omissão da PRF reforçou a certeza de que o presidente trabalha para elevar a tensão no país.

Leia a íntegra da nota do MTST:

"Nos últimos quatro anos, observamos no Brasil a construção de um governo autoritário e fascista. Foram inúmeras as manifestações de desrespeito aos princípios democráticos, com ataques à imprensa, ao livre direito de manifestação, às instituições e ao sistema eleitoral.

Desde domingo, observamos no país travamentos que contestam o resultado eleitoral e pedem intervenção militar. Tais protestos acontecem com a complacência de forças de segurança, como a PRF.

Nós do MTST sempre estivemos nas ruas lutando por direitos sociais legítimos como casa e comida. Muitas dessas vezes fomos recebidos com tiros, bombas, agressões e prisões.

Diante desse fato, a coordenação nacional do MTST orienta sua militância nos estados a organizar manifestações para desbloquear as principais vias de acesso, exigindo o respeito ao resultado eleitoral. Esperamos ser tão bem recebidos pelas forças de segurança quanto os bolsonaristas estão sendo."




com informações Folha de S. Paulo

Postar um comentário

0 Comentários