São Paulo demite Rogério Ceni e já negocia com substituto



 

Maior ídolo do clube como jogador, técnico foi desligado mesmo depois de vencer o Puerto Cabello, da Venezuela, pela Copa Sul-Americana




São Paulo anunciou nesta quarta-feira (19/4) a demissão do técnico Rogério Ceni. A decisão foi tomada mesmo depois da vitória da equipe sobre o Puerto Cabello (2 a 0), no Morumbi, pela segunda rodada do Grupo D da Copa Sul-Americana.
De acordo com o jornalista Jorge Nicola, colunista do Superesportes, o São Paulo já negocia com Dorival Júnior para substituir Rogério.

O próximo compromisso do clube é contra o América, às 18h30 de sábado (22/4), no Morumbi, pela segunda rodada do Brasileirão. Assim como o tricolor, o Coelho estreou no campeonato com revés: 3 a 0 para o Fluminense, no Independência, em Belo Horizonte.

Insatisfação do São Paulo


Ceni estava na segunda passagem como técnico do São Paulo. Em 106 jogos, obteve 49 vitórias, 28 empates e 29 derrotas de outubro de 2021 a abril de 2023. O clube chegou à final do Paulista e da Copa Sul-Americana em 2022, além das semifinais da Copa do Brasil.
Em 2023, a cúpula são-paulina ficou insatisfeita com a eliminação nas quartas de final do estadual, para o Água Santa, e o empate diante do Ituano no primeiro duelo da terceira fase da Copa do Brasil. Pesou ainda a estreia na Série A com derrota por 2 a 1 para o Botafogo.

Nessa terça-feira (18), em entrevista depois do jogo contra o Puerto Cabello, na Sul-Americana, Rogério foi insistentemente questionado por jornalistas sobre o futuro à frente do São Paulo. E a resposta teve o mesmo contexto: de que a escolha seria da direção.

“Entendo o manifesto, trabalhei aqui há 28 anos, sei como funciona. Acho que os jogadores entregam o melhor que eles podem, eu faço o meu melhor todos os dias. Sou a mesma pessoa e trabalho todos os dias. Cria-se notícias, é sempre bom esclarecer, mas não posso esclarecer algo que não sou eu quem decido”.

Trajetória de Rogério Ceni


Contando os números do primeiro trabalho de Rogério no São Paulo, em 2017, o retrospecto é de 63 vitórias, 39 empates e 39 derrotas em 141 partidas. Ele não venceu nenhum título - diferentemente da trajetória de mais de 20 anos como atleta tricolor.

Vestindo a camisa 1 do São Paulo, Ceni ganhou 18 títulos, entre os quais três edições do Brasileiro, uma da Copa Libertadores, uma da Copa Sul-Americana e uma do Mundial de Clubes. Exímio cobrador de faltas e pênaltis, ele marcou 131 gols em 1.237 jogos.

Na carreira de treinador, Rogério brilhou em dois clubes: no Fortaleza, sagrou-se campeão cearense (2019 e 2020), da Copa do Nordeste (2019) e da Série B (2018); no Flamengo, ergueu as taças do Brasileiro (2020), da Supercopa do Brasil (2021) e do Carioca (2021).
Rogério Ceni também dirigiu o Cruzeiro, em 2019, quando entrou em atrito com lideranças do elenco - Thiago Neves, Dedé e outros - e não conseguiu livrar o time do rebaixamento à Série B.

LEIA A NOTA DO SÃO PAULO


O São Paulo Futebol Clube anuncia a saída de Rogério Ceni da função de treinador nesta quarta (19). Também deixam suas funções os auxiliares técnicos Charles Hembert, Leandro Macagnan, Nelson Simões e o preparador Danilo Augusto.


O Clube agradece aos profissionais pela dedicação de todos durante o período de quase 18 meses de trabalho nesta passagem que trouxe dois vice-campeonatos como resultados esportivos mais relevantes.

O São Paulo Futebol Clube destaca que está sempre de portas abertas para o ídolo Rogério Ceni, embora os caminhos profissionais sigam direções diferentes no momento.

Superesportes

Postar um comentário

0 Comentários