Acarau: Mortes ocorreram 72h após acusado receber medida protetiva




 O acusado Valdian de Sousa Melgaco, de 28 anos, havia recebido um oficial de Justiça na última quinta-feira, 25, em Acaraú, com o documento da medida protetiva que o proibia de se aproximar da ex-companheira, Kelry Veríssimo, de 24 anos. 

Três dias depois ele invadiu a casa da família da enfermeira e a matou a facadas. A sogra, Maria de Jesus Veríssimo, de 47 anos, também foi esfaqueada e o sogro foi ferido, o único que sobreviveu. 

O duplo feminicídio aconteceu no município de Acaraú, no Ceará. 

Conforme Informações, o agressor invadiu a casa por volta das 5 horas da manhã e esfaqueou a família. O crime aconteceu na frente da filha do casal. Em seguida, os moradores socorreram Kelry, a mãe dela e o pai para uma unidade de saúde. 

As duas morreram no hospital e o pai da enfermeira segue internado, mas não corre risco de morte.

A vizinhança, revoltada com o caso, tentou linchar Valdian, que foi preso em flagrante por duplo feminicídio e segue hospitalizado sob escolta policial.

Agressor enviou dezenas de mensagens no Facebook duas semanas antes do crime 

Duas semanas antes do crime, Valdian deixou mensagens no Facebook da vítima afirmando que a amava. Nas redes sociais, Kelry publicava fotografias dela e da família, mas Valdian seguia fazendo publicações marcando a ex-esposa em diversas fotografias com ela e a filha do casal. Conforme Informações, ele não se conformava com o fim do relacionamento e seguia comentando em todas as publicações da ex-mulher como se ainda estivessem juntos. Em algumas das mensagens chegou a dizer que em breve a família seria reconstruída.

Há duas semanas, Valdian comentou em praticamente todas as fotografias de Kelry, inclusive, imagens de 2016. "Vamos ser feliz novamente uma chance pra (SIC) vida que vamos estabelecer pra (siC) nossas filhas", comentou. 


O Povo

Postar um comentário

0 Comentários