Manchas de óleo chegam a Amontada e já atingem 13 dos 20 municípios costeiros do Ceará





Óleo já atingiu todas as cidades entre Aracati e Amontada, inclusive na capital, Fortaleza.





As manchas de óleo que voltaram a aparecer em janeiro deste ano no litoral cearense continuam avançando pelo litoral oeste e chegaram ao município de Amontada, na manhã desta sexta-feira (15). Na cidade, ficam destinos turísticos nacionais, como Icaraizinho e Moitas.

Ao todo, a Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema) já contabiliza 60 praias de 13 municípios com o aparecimento de piches.

O titular da Secretaria de Meio Ambiente de Amontada, Cândido Neto, informou que encontrou vestígios oleosos na praia de Caetanos de Cima, mas a quantidade, conforme ele, era inferior a 100 gramas. Por isto, a prefeitura irá realizar novo monitoramento durante a tarde para analisar se há mais resquícios do material.

As causas do desastre ambiental ainda são desconhecidas. Pesquisadores ainda tentam descobrir o que provocou o derramamento, mas já descartaram hipóteses como resquícios do desastre ambiental de 2019 e relação com a erupção do vulcão em Tonga.

De acordo com a bióloga Alice Frota, integrante do Coletivo Verdeluz, as manchas de óleo são tóxicas e põem em risco a vida marinha. Ainda não há registros de problemas de saúde em banhistas registrados no Ceará em decorrência do óleo.



Litoral Leste

Aracati – Cumbe, Canoa Quebrada, Majorlândia, Quixaba, Fontainha e Lagoa do Mato;
Fortim – Praia Canoé e Praia do Forte;
Beberibe – Praia do Parajuru e Prainha do Canto Verde;
Cascavel – Barra Nova, Barra Velha, Águas Belas e Caponga;
Fortaleza e Região Metropolitana
Aquiraz – Porto das Dunas, Japão, Prainha, Marambaia, Praia Bela, Praia do Presídio, Praia do Iguape, Praia do Barro Preto e Praia do Batoque;
Fortaleza – Praia da Abreulândia, Sabiaguaba, Praia do Futuro, Cais do Porto/Serviluz, Praia da Leste Oeste e Barra do Ceará;
Caucaia – Praia do Cumbuco; Cauípe, Icaraí, Tabuba e Iparana;
São Gonçalo do Amarante – Praia da Taiba, Pecém, Barramar e Colônia;

Litoral Oeste

Paracuru – Praia do Quebra Mar, Praia Pau Enfincado, Vapor, Piriquara, Pedra Rachada, Praia do Canto, Praia das Almas, Boca do Poço, Ronco do Mar, Praia da Munguba/Farol e Praia da Barra;
Paraipaba – Praia de Lagoinha, Porto Velho, Capim Açú;
Trairi – Praia de Cana Brava, Guajiru, Emboaca, Flexeiras e Mundaú;
Itapipoca – Praia de Tremembé, Praia das Pedrinhas e Praia da Baleia;
Amontada – Praias atingidas ainda não foram confirmadas.

No informe diário da Sema, há a informação de que a ONG AQUASIS relatou aparecimento de manchas de óleo na praia de Picos, em Icapuí, no extremo leste do Ceará. Contudo, a equipe de acompanhamento comunicou a Secretaria Municipal de Desenvolvimento, Trabalho, Agricultura, Meio Ambiente e Pesca de Icapuí (SEDEMA) disse que foi a campo e não confirmou a presença do material.

A Secretaria Estadual do Meio Ambiente (Sema) criou um grupo de trabalho com gestores municipais, cientistas e órgãos de monitoramento e ambientalistas para identificar os locais de forma rápida e coordenar as atividades de investigação e de limpeza.

As praias que estão apresentando vestígios oleosos estão sendo limpas pelas prefeituras, que recolhe o material e o encaminha para a Superintendência Estadual do Meio Ambiente (Semace). O que for reunido é encaminhado à Companhia de Cimento Apodi.

Municípios costeiros sem óleo nas praias:

Icapuí
Itarema
Acaraú
Cruz
Jijoca de Jericoacoara
Camocim
Barroquinha


G1

Postar um comentário

0 Comentários