Camilo reúne 6 partidos, inclusive PSDB, que decidem lançar candidato a governador





 O ex-governador Camilo Santana (PT) se reuniu na noite desta terça-feira, 19, com dirigentes de partidos que apoiaram a indicação da governadora Izolda Cela para ser candidata à reeleição pelo PDT. Na tarde desta terça, o PT aprovou resolução segundo a qual a aliança está rompida por decisão unilateral do PDT. PT, PCdoB, PV, MDB, Progressistas e PSDB decidiram que estarão juntos na eleição.

Entre os presentes no encontro, o presidente do PSDB, ex-senador Chiquinho Feitosa, o deputado estadual Danniel Oliveira (MDB), o deputado estadual Zezinho Albuquerque (Progressistas), o filho dele, deputado federal AJ Albuquerque, presidente do Progressistas, o ex-senador Inácio Arruda (PDCdoB), o deputado estadual Walter Cavalcante (PV) e o presidente do PT Ceará, Antonio Filho, o Conin.

Questionado se desse grupo sairá candidatura a governador, o deputado federal José Guimarães (PT) respondeu: "Com certeza". O encontro não chegou a nome de candidato. "Só tem uma coisa definida: Camilo senador", disse Guimarães. Ele afirmou que as seis legendas pactuaram que sairão juntas na eleição.

Confira nota divulgada pelas siglas:

Partidos se reúnem para discutir a sucessão estadual no Ceará e se solidarizam com Izolda Cela

Os partidos PT, PP, MDB, PSDB, PCdoB e PV estiveram reunidos esta tarde com o ex-governador e pré-candidato ao Senado, Camilo Santana, para discutir sobre a sucessão ao Governo Estadual do Ceará. Foram avaliados cenários, principalmente após a decisão do PDT de não lançar Izolda Cela para a reeleição, nome que vinha sendo defendido como de consenso para unir os partidos. Durante o encontro, os partidos lamentaram não terem sido envolvidos pelo PDT na discussão do nome que seria lançado, apesar dos apelos feitos pelo grupo, e se solidarizaram com a governadora Izolda Cela, por não ter o direito à reeleição respeitado. Os partidos assumiram o compromisso de estarem juntos na construção de um caminho comum para as eleições de 2022. Os partidos voltarão a se reunir para a tomada de decisões.

Com informações de Henrique Araújo e Mariana Lopes


Via O Povo

Postar um comentário

0 Comentários