Ceará: Região Norte supera média e ultrapassa 90% do público vacinado com 2 doses



 


Duas das cinco macrorregiões de saúde do Estado alcançaram nesta quinta-feira (17) uma expressiva marca na corrida contra a coronavírus. O Cariri e a Região Norte ultrapassaram a taxa de 90% na aplicação da vacina conta Covid-19 no que se refere ao esquema primário, isto é, primeira (D1) e segunda doses (D2). 

Estas suas macrorregiões se aproximam do coeficiente tido como ideal por especialistas. Segundo a presidente do Conselho das Secretárias Municipais de Saúde do Ceará (Cosems-CE), Sayonara Moura Cidade, o objetivo é ultrapassar a marca dos 95%.

  • Cariri: aplicou 1.125.908 doses, totalizando 90,1% do público-alvo
    Cidades que compõem a região: Abaiara, Acopiara, Altaneira, Antonina do Norte, Araripe, Assaré, Aurora, Baixio, Barbalha, Barro, Brejo Santo, Campos Sales, Caririaçu, Cariús, Catarina, Cedro, Deputado Irapuan Pinheiro, Farias Brito, Granjeiro, Icó, Iguatum, Ipaumirim, Jardim, Jardim, Jati, Juazeiro do Norte, Jucás, Lavras da Mangabeira, Mauriti, Milagres, Missão Velha, Mombaça, Nova Olinda, Orós, Penaforte, Piquet Carneiro, Porteiras, Potengi, Quixelô, Saboeiro, Salitre, Santana do Cariri, Tarrafas, Umari, Várzea Alegre
     
  • Norte: aplicou 1.257.957 doses, totalizando 90,2% do público-alvo
    Cidades que compõem a região: Acaraú, Alcantâras, Ararendá, Barroquinha, Bela Cruz, Camocim, Cariré, Carnaubal, Catunda, Chaval, Coreaú, Crateús, Croata, Cruz, Forquilha, Frecheirinha, Graça, Granja, Groaíras, Guaraciaba do Norte, Hidrolândia, Ibiapina, Independência, Ipaporanga, Ipu, Ipueiras, Irauçuba, Itarema, Jijoca de Jericoacoara, Marco, Martinópole, Masspê, Meruoca, Monsenhor Tabosa, Moraújo, Morrinhos, Mucambo, Nova Russas, Novo Oriente, Pacujá, Pires Ferreira, Poranga, Quiterianópolis, Reriutaba, Santana do Acaraú, Santa Quitéria, São Benedito, Senador Sá, Sobral, Tamboril, Tianguá, Ubajara, Uruoca, Varjota, Viçosa do Ceará 

"Este é um número que a própria OMS trabalha. Ao vacinar mais de 95% da população, possibilitamos uma boa imunidade de rebanho e, consequentemente, reduzimos a transmissão do vírus", explicou.

Ambas as macrorregiões estão com a cobertura primária acima da média estadual, que atualmente é de 87,9%. Além disso, elas devem atingir nos próximos dias, a cobertura total de pessoas imunizadas com a primeira dose. O Norte aplicou a D1 em 99% do público-alvo, enquanto o Cariri atingiu o índice de 98,2%. 

Os índices conquistados pelo Norte e Cariri são expressivos e importantes na corrida contra a Covid-19. Além de estarem acima da média nacional, ambas as regiões também estão acima da média nacional. Conforme o Ministério da Saúde, quase 153 milhões de brasileiro já receberam ambas as doses, o que representa 71,9% da população.

Já o Sertão-Central é o que possui, hoje, o menor índice da cobertura primária no Ceará, com 85% do público-alvo imunizado com as duas doses da vacina contra o vírus SARS-Cov-2. As macrorregiões de Fortaleza Litoral Leste/Jaguaribe têm 87% da cobertura primária. Ainda assim, elas também estão acima da média nacional. 

O avanço desse processo imunizatório, considerado pela infectologista Sefora Pascoal como a ação mais efetiva no combate à pandemia, se torna ainda mais vital nas regiões interioranas. Isso porque, conforme explica, o vírus tem tido o padrão de primeiro elevar o pico de infecções na Capital e "duas a três semanas depois, no Interior".

No entanto, diante deste alto índice de pessoas vacinadas com o esquema primário, a tendência é que o vírus circule em menor velocidade. Essa redução na transmissibilidade sugerida por Sefora já pode ser observada em números.

No Cariri, a curva de incidência está em queda desde o dia 3 de fevereiro. Naquela data, a média móvel era de 718. Ontem, dia 16, essa média estava em 235.

A taxa de incidência é importante para estimar o risco de ocorrência de casos de Covid-19 na população desses municípios. O cálculo leva em conta o número de casos confirmados, dividido pelo número de habitantes e multiplicado por 100 mil.

No Norte, cenário ainda melhor. A taxa apresenta queda linear desde o dia 21 de janeiro, há quase um mês. A média caiu de 1.491 para 143,60. Os dados são da Secretaria da Saúde (Sesa) do Estado.

Diario do Nordeste

Postar um comentário

0 Comentários