Daniel Alves é transferido para presídio que abriga estupradores e assassinos



 


Acusado de agredir fisicamente e estuprar uma jovem de 23 anos, o jogador Daniel Alves, 39, foi preso na tarde desta sexta-feira (20), na Espanha. Segundo decisão da juíza Maria Concepción Canton Martín, o brasileiro não terá direito à fiança.

De acordo com informações publicadas pelo jornal espanhol El Periódico, a vítima confirmou que o crime aconteceu em um banheiro de uma boate de Barcelona, em 30 de dezembro do ano passado. Na ocasião, Dani Alves, ídolo do clube catalão, passava férias na Espanha após disputar a Copa do Mundo no Catar.

A vítima afirmou, em seu depoimento, que Dani Alves a convidou, junto com um amigo, para um espaço VIP na boate Sutton, em Barcelona. A mulher disse que o jogador pegou a sua mão e colocou em seu pênis contra a sua vontade. Ela afirmou ainda que foi forçada a ir para um banheiro da área VIP, onde foi trancada, agredida e estuprada.

A vítima disse que, quando tentou resistir ao estupro, apanhou. A denunciante foi atendida em uma sala da boate e também foi recebida pelo responsável da casa noturna, que acionou a polícia e uma ambulância. Ela foi transferida para o Hospital Clínic, onde foram feitos exames médicos. Segundo fontes consultadas pelo jornal, o laudo médico afirma que há lesões compatíveis com a agressão.

A mulher foi dois dias depois da agressão denunciar os fatos à polícia. Ela entregou o laudo médico e também o vestido que usava na noite de 30 de dezembro. A Unidade Central de Agressões Sexuais (UCAS) assumiu uma investigação que revisou as câmeras de segurança.

PRISÃO

No dia 5 de janeiro, Daniel Alves já havia se posicionado sobre o caso e negou as acusações. “Primeiramente, gostaria de desmentir tudo. Eu estive nesse lugar (casa noturna), com mais gente, aproveitando. Todo mundo que me conhece sabe que eu adoro dançar. Eu estava aproveitando, mas sem invadir o espaço dos demais. Sempre respeitando o entorno”, afirmou.

Daniel Alves foi encaminhado nesta sexta-feira (20) para a penitenciária ‘BRIANS 1’, em Barcelona. O local conta com 172 celas individuais e 625 espaços compartilhados. Há biblioteca e centro de treinamento no presídio.

O BRIANS 1 abriga alguns presos por casos que ficaram famosos na Espanha. Pedro Jiménez, condenado por estupro, roubo e morte de dois policiais e Juan Francisco López, condenado por estuprar e matar uma menina de 13 anos são alguns deles.

O pedido de prisão de Daniel Alves foi feito pelo Ministério Público espanhol e reforçado pela defesa da vítima. O jogador brasileiro chegou ao BRIANS 1 algemado e esperou o resultado do julgamento em uma cela com outros detidos.

NOVO ‘CASO ROBINHO’

Ao decretar a prisão de Daniel Alves, a juíza ressaltou alguns pontos:

1. Risco de fuga. Pelo fato de Dani Alves ter uma boa condição econômica, tornaria viável a possibilidade de ele deixar o país durante as investigações.

2. Como Daniel Alves tem dupla nacionalidade, se viajasse ao Brasil, não haveria forma de extraditá-lo para ser julgado na Espanha. É o que aconteceu com o também jogador Robinho, condenado na Itália.

3. O depoimento da mulher que acusa Daniel Alves é contundente e sem contradições.

4. As informações policiais: análise de câmeras de segurança, coleta de depoimento de funcionários da boate e exames médicos entregues pela vítima foram considerados contundentes

PUMAS RESCINDE CONTRATO

O Pumas, time que contratou Daniel Alves no meio do ano passado, anunciou a rescisão de contrato por justa causa. “Com a informação ocorrida hoje sobre o processo que enfrenta Daniel Alves, comunicamos o seguinte: o Club Universidad Nacional [Pumas] tomou a decisão de rescindir, por justa causa, o contrato com o jogador Daniel Alves a partir de hoje”, disse o clube, em nota.

Pragmatismo Politico

Postar um comentário

0 Comentários