Dono de tirolesa em que turista morreu na praia de Canoa Quebrada é indiciado por homicídio culposo



 


A Polícia Civil indiciou o proprietário da tirolesa que provocou a morte do turista paraense Sergio Murilo Lima de Santana, de 39 anos, em outubro deste ano em Canoa Quebrada, município de Aracati. Uma viga de sustentação do equipamento rompeu no momento em que a vítima o utilizava.

A autoridade informou, via nota, que encerrou as investigações sobre o caso e concluiu que o homem de 35 anos, cuja identidade não foi revelada, é suspeito pelo crime de homicídio culposo — quando não há intenção de matar. O procedimento policial foi remetido ao poder Judiciário mês passado. 

O paraense Sergio Murilo Lima de Santana visitava a praia cearense em 10 de outubro de 2022, quando, ao usar a tirolesa, caiu e se chocou contra a areia. Na ocasião, uma das vigas de sustentação do equipamento cedeu, provocando o incidente. O turista chegou a ser levado para uma Unidade de Pronto Atendimento (UPA) da região, mas já chegou ao local sem vida.

Antes do acidente, o homem compartilhou imagens da atração em uma rede social. Ele também registrou a queda em vídeo. Na gravação, é possível notar que durante o trajeto no ar, após o rompimento da viga, ele cai e se choca na areia.

Na época, após o acidente com o turista, a Prefeitura de Aracati determinou a interdição de todas as tirolesas e equipamentos similares do município. O Diário do Nordeste entrou em contato com o Município, nesta quinta-feira (22), para verificar se a medida ainda está em vigor e aguarda resposta.  


Diario do Nordeste

Postar um comentário

0 Comentários